A Nova Direção proposta aqui é uma retomada de rumos já tomados pela Igreja. resgatar valores antigos, mas sem perder o contato com a realidade atual. A mensagem de Jesus continuará relevante, mesmo que seque a erva e murche a flor.
Tudo o que vem dele, é permanente.
O amor de Cristo por nós, sua Palavra, suas promessas e sua posição única no topo do universo, continuam sendo as mesmas, aconteça o que acontecer na base. Se for preciso, vamos mudar o rumo e voltar atrás, para bem longe da cauda.
Mostrando postagens com marcador igreja. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador igreja. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 15 de março de 2017

Corpo misto de Cristo

⏩ Corpo Híbrido de Cristo

Uma instituição #religiosa híbrida tenta substituir o corpo de Cristo por uma corporação completamente artificial misturando gente com prédios de cimento, armaduras de metal enferrujado, juntas e medulas de plástico, espadas de brinquedo comandados por um cabeça de vento. Pode crer, esse não é #Jesus. 

Creio que já entendemos bem a dinâmica empresarial, pois se trabalhamos em alguma instituição deste tipo, já fomos parte integrante disso. Já a respeito de um grupo de natureza puramente orgânica, como a #Igreja, ainda há muito o que aprender. Na nossa ignorância acabamos introduzindo no organismo elementos empresariais, que não se encaixam, perfeitamente em um organismo. Foi assim, que apareceram Corpos híbridos, parte organismo, parte instituição. Ciborgues, com partes metálicas não totalmente adaptadas ao organismo. 

Corremos o perigo de misturar dons com organograma, convivência com comunicação interna, comunhão com vídeo conferência e amor com premiação. 

Em uma instituição tudo gira em torno das necessidades da corporação e os seus membros passam a ser empregados ou mantenedores da máquina. Os participantes mais honrados são exatamente aqueles que colaboram para o crescimento estrutural e não pessoal do Corpo. A tendência, com o tempo é um processo através do qual a máquina comece a engolir o Corpo. 

Um grande amigo meu, vítima deste processo de fagocitose corporativa me fez a seguinte desabafo:

Estou precisado mudar de Igreja porque fui classificado como o tipo de pessoa que não colabora com a formação dos paradigmas corporativos. Acho que me julgam mais disposto a quebrá-los. Até agora, a minha presença no local mecheu, ligeiramente, com posturas litúrgicas às quais a atual liderança se apegou com entusiasmo. 

Concordo que não sou um ferrenho defensor daqueles paradigmas, mas também não os combato. Me tornaram um membro inativo, temendo que eu tentasse quebrar monumentos posturas históricos, em torno dos quais se agregam. Não tenho mais nada para fazer ali e ninguém da liderança, sequer esboçou uma tentativa de me manter no grupo. Estou saindo. 

Talvez estejam imaginando, que ao me isolarem, prestam um serviço para Deus. Entendo, que um membro com uma mensagem errada, omisso e desagregador, deva ser contido, mas só no caso dele representar uma real ameaça para a fé e para a unidade do Corpo. Este porém não é o meu caso.

Estou autorizado a publicar este desabafo para mostrar um dos perigos da institucionalização da Igreja. 

Ubirajara Crespo 

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Pastores de verdade

Pastores foram convocados para discípular e não para realizar aparições semanais onde distraem as pessoas com versículos bíblicos. 

Discipuladores precisam de aproximação, mais do que visibilidade. A mensagem não é sua, mas de Deus. 



O Evangelho não é transmitido por um boneco falante escondido atrás de uma vitrine religiosa à qual chamamos de púlpito.

Sua mensagem não é apenas informadora, mas formadora de hábitos que precisam ser comprovados em uma vida exposta à observação diária.

A Palavra ensinada em sala de aula não tem o objetivo de mostrar a sabedoria do mestre, mas do seu autor, que é Deus. 

Jr 50.6. Ovelhas perdidas têm sido o meu povo; os seus pastores as fizeram errar, e voltar aos montes; de monte para outeiro andaram, esqueceram-se do lugar de seu repouso.

Princípios bíblicos foram criados para serem observados no dia a dia e não apenas para construir peças de oratória.

O pastor de ovelhas vai além do que um robô programado poderia realizar na porta de saída do templo: sorrisos, cumprimentos e palavras doces. Ele dá a vida por suas ovelhas.

O pastor é uma figura presente, que participa da vida das ovelhas, sempre que for preciso e em todas as situações. 

Pastor de ovelhas não cabe na grandiosidade dos grandes auditórios religiosos.

Jr 12.10. Muitos pastores destruíram a minha vinha, pisaram o meu quinhão; tornaram em desolado deserto o meu quinhão aprazível.

Como discipulador e representante de Deus, não pode se distaciar, cultivar privacidade extrema, montar esquemas de isolamento, fugir do contato físico e dificultar a aproximação.

Se você conhece um pastor assim, incentive-o, faça isso agora mesmo, pois ele precisa muito disso.

Ez 34. portanto, ó pastores, ouvi a palavra do Senhor: Assim diz o Senhor Deus: Eis que eu estou contra os pastores; das suas mãos requererei as minhas ovelhas, e farei que eles deixem de apascentar as ovelhas, de sorte que não se apascentarão mais a si mesmos. Livrarei as minhas ovelhas da sua boca, para que não lhes sirvam mais de pasto.

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Jesus, The Flash





Jesus não disse que estará onde estiverem 2 ou 3, que citam seu nome durante uma suas orações. 

Ele disse que precisam estar reunidos em seu nome. Isto significa ter procuração, alvará de funcionamento assinado por Jesus, funcionando como parte do Corpo, do qual Jesus é o cabeça. Uma Igreja não nasce por geração espontânea, nem do nada, mas como fruto do amor entre Jesus e sua noiva. O tipo de coisas que ocorreu em um casamento. Geração espontânea precisar de carne podre para contecer. 

Não basta reunir um grupo de gente, registrar no cartório, cantar louvores, ler a Bíblia e fazer orações. Isto seria dar o tiro, pedir para Jesus corra atrás da bala e dizer a todos que foi ele quem atirou.

Viu!? não é tão fácil assim, como as pessoas acham.

Algo mais do que uma marca litúrgica precisa ser mostrada, para que o próprio Jesus ser convencido a assinar esta procuração, que nos dá o direito de reunir em seu nome.

Pelos frutos os conhecereis, mas que frutos são esses?

Mt 7.17. Assim, toda árvore boa produz bons frutos; porém a árvore má produz frutos maus. 18. Uma árvore boa não pode dar maus frutos; nem uma árvore má dar frutos bons. 

Ficou claro nesta passagem, que estes homens colocaram no seu currículo, que Jesus mencionou. 

Veja:

Mt 7.22. Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitos milagres? 23. Então lhes direi claramente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade.

Note, que rejeitados por Cristo são exatamente o tipo de pessoas capazes de atrair mais seguidores: Profetizar, expulsar demônios e realizar milagres, dizendo que procedem de Cristo.

Se não são estes os frutos que marcam o caráter denum cristão, então quais são?

Seriam qualificações como amor, misericórdia, domínio próprio e pacificação?

Ou você acha que há um terceiro tipo de sinal?

Ubirajara Crespo 

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

Recuperar a essência ou perdê-la para sempre.

A minha reação alérgica a números tem a ver com experiências passadas. Mas reconheço que, como  vento, podem levantar a poeira caída no chão. Até tornados passam, deixam seus rastros e vão embora. A gente fica esperando pelo próximo, mas a data da sua volta, ninguém sabe.
Jesus mesmo promoveu alguns ajuntamentos, mas eles não foram o seu foco principal. Avivamentos genuínos não são massivos, são individuais.

Poderíamos dizer, pelos relatos de sua vida e ministério, que Jesus priorizava pessoas e não instituições, pois não fundou nenhuma, como também não o fizeram os seus discípulos mais chegados. A institucionalização ocorreu bem depois.

As grandes reuniões de Atos, continuaram sendo eventuais, como nos Evangelhos. Além da reunião do dia de Pentecoste, aconteceu pouca mexida nesta massa. Fomos informados, de um ressenciamento dos seguidores de Cristo, que chegou a 5000, mas nada garante, que aquele povo se reunia regularmente em um grande ajuntamento. Até mesmo porque a Igreja ainda era uma atividade clandestina. Falei atividade e não instituição.

Mesmo na Igreja de Éfeso, o mover mais quente de Atos, não se fala de reuniões em templos. Aliás, aquele fogo, porém, derreteu. Éfeso está onde hoje é a Turquia, não passa de ruínas, e não há qualquer evidência de presença cristã no local. Até João (Ap. 2), acusou essa igreja de abandonar o seu primeiro amor antes de seu vigésimo aniversário. Grandes reuniões ocorreram e devem continuar ocorrendo, mas não se impressione demais com elas. 

Prefiro dar à luz, a moda antiga, sentindo as dores do parto, acordando de madrugada para preparar a mamadeira, vê-lo evoluir para a papinha, sopinha, frutinha e finalmente o carrasco. Não coloquei uma placa na parede do quarto dos meus filhos contendo os seguintes horários das refeições. Domingo: almoço de celebração em 3 horários diferentes. Quinta: lanchinho celular.

O discipulado não acontece somente porque promovemos um mini culto na sala de casa, com pouca gente. Muda apenas o tamanho do auditório. Quero saber onde você e seu discípulo estarão depois que tomarem o café e se despedirem?

Jesus chamou 12 para estarem com ele e não para uma pequena reunião semanal de estudo bíblico. Isso a gente encontra em cada esquina, algumas com milhares de pessoas e outras com meia dúzia.

Ubirajara Crespo

terça-feira, 6 de outubro de 2015

Igreja, garantia de continuidade

Argumento continuista para a vida da Igreja.

O livro de Atos é essencialmente continuista, pois narra uma história sem fim, mas só por enquanto. Nos seus 28 capítulos desenha o mapa para uma mina contendo direção, valores, capacitações, procedimentos e carismas.

Assim como houve um início para esta trajetória, haverá também, um final. Isto acontecerá apenas quando vier o que é perfeito e o que há em parte for aniquilado.

1Co 13.8. "O amor jamais acaba; mas havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá; porque, em parte conhecemos, e em parte profetizamos; mas, quando vier o que é perfeito, então o que é em parte será aniquilado".

Leia também 1Co 1.5, 7: "... porque em tudo fostes enriquecidos nele, em toda palavra e em todo o conhecimento, de maneira que nenhum dom vos falta, enquanto aguardais a manifestação de nosso Senhor Jesus Cristo".

Durante todo o período de validade da Igreja ela está autorizada a manifestar todos os talentos, dons, ministérios, qualificações, união, esforço, metas, motivações, compromissos, princípios e santidade, que manifestou no início.

Isto aconteceu em Jerusalém, Judéia, Samaria e até os confins da Terra e durante todo o período denominado por Pedro como "Os últimos dias". Este é o períodos da Igreja.

Atos 2.16. "Mas isto é o que foi dito pelo profeta Joel: E acontecerá nos últimos dias, diz o Senhor, que derramarei do meu Espírito sobre toda a carne; e os vossos filhos e as vossas filhas profetizarão, os vossos mancebos terão visões, os vossos anciãos terão sonhos (etc, etc, etc)".

quinta-feira, 6 de agosto de 2015

Existe espaço para o homossexual na Igreja?

Homossexuais podem ser aceitos como membros da Igreja


A sexualidade humana é uma das áreas mais complicadas e incômodas para o desenvolvimento e manutenção da nossa santidade. Não sejamos hipócritas, nem tentemos enganar a nós mesmos, dizendo que, este problema não aflige homos e heterossexuais, com a mesma intensidade.

Não deveria haver espaço para a prática do homossexualismo, para a fornicação, para a mentira, para a hipocrisia, para o medo, para anagressividade, para o ódio e para o suborno, mas deveria haver espaço para o pecador.

Provoca secreções de fluidos corporais, desejos, reações automáticas naturais ou artificialmente implantadas. Impulsos sexuais movimentam pedaços do Corpo masculino, programados para esticar e penetrar em orifícios lubrificados pela natureza. 

Este mesmo processo é usado para fazer com que um pênis penetre em orifícios que não foram feitos para suportar, esta fricção, sem dano, exigindo o uso de produtos químicos lubrificantes. 

Considero a homossexualidade como uma anormalidade, e não convidaria um casal de homossexuais para participar da mesa do Senhor. Usaria mesmo critério com qualquer um, que estivesse aprisionadado a qualquer outro tipo de pecado. A participação na ceia é um dos instrumentos de pressão para a manutenção da santidade.

Não sejamos hipócritas ao ponto de usar menor rigor ao tratar o pecado heteros do usamos ao tratar do pecado do Homo. Não devo excluir da comunhão, alguém que é tentado, mas aquele que cai na tentação, seja ela de que natureza for. Quem disse que a soberba é um pecado menor do que o adultério e que a fornicação hetero é mais suportável do que a homo ?

Não consigo enxergar na Bíblia uma justificativa para deixar de batizar alguém, que crê, apesar de sofrer tentações, sejam elas de que origem forem.

Já se vão quase 50 anos de vida cristã e ainda sou tentado a responder asperamente, a me envaidecido, a responder asperamente, etc... E olha, que sou pastor, e se aparecer algum pastor aqui, dizendo, que não é tentado, eu direi, sem medo de errar, que é um mentiroso.

Tentação não é pecado, mas ceder a tentação é uma escolha consciente, e se a sua queda for inconsciente, você precisa ser internado.

Jesus foi tentado, mas foi carimbado pelo Pai, como aquele, que jamais pecou.

Ubirajara Crespo 



quinta-feira, 30 de julho de 2015

Velório de caixão vazio



Ubirajara Crespo 

Pessoas bem intencionadas, mas adaptadas a ambientes institucionais, tentam trazer para a Igreja práticas que funcionam muito bem nas empresas onde trabalham.

Uma empresa conserva, promove e dispensam funcionários com base no bem que fazem para a instituição. A instituição precisa crescer.

A Igreja, porém é um Corpo e não uma corporação religiosa. Ninguém descarta um membro defeituoso. Se o seu olho não vê o suficiente, você compra um óculos, e se tem uma pedra em um de seus rins, você vai ao urologista.

No que se refere a marketing, expansão missionária, treinamento de funcionários, racionalidade financeira e funcionalidade departamental, há muito o que aprender com as empresas. No Corpo, porém, coisas são descartáveis, mas pessoas são essenciais,m por mais capangas, que estejam.

Podemos falhar ao relacionar objetos, bens e valores em nosso inventário patrimonial, mas se fizermos o mesmo com pessoas, podemos estar cometendo um pecado, que provocará perdas irreparáveis para o órgão e para o Corpo Inteiro.

Examine bem a sua Igreja e veja se ela tem olhos, ou está usando uma prótese de vidro. Algo que, só serve para tapar o buraco, mas não vê. Quem sabe lhe tiraram o fígado e esqueceram de coloca outro no lugar.

Vai que o Corpo local não foi capaz de impedir que, algum órgão vital fosse roubado e agora está morrendo. Só ficou uma liturgia corporativa processada dentro de um caixão, que nem defunto tem mais.

Vai dizer pra quem aquela frase: "Levanta e anda".?!?!?!?!?!

Talvez o órgão mais doente do seu Corpo Local seja você mesmo: sabe criticar o erro de todo mundo, mas como um apêndice, só serve para provocar apendicite. Talvez não passe de um tecido peritonial, que está  ali para segurar o intestino dentro do Corpo, mas rasgou. Virou hérnia, caroço e dói.

No Corpo a gente chora com.... e não apenas por causa de.....

Assim, há muitos membros, mas um só corpo. O olho não pode dizer à mão: “Não preciso de você!” Nem a cabeça pode dizer aos pés: “Não preciso de vocês!” Ao contrário, os membros do corpo que parecem mais fracos são indispensáveis, e os membros que pensamos serem menos honrosos, tratamos com especial honra. E os membros que em nós são indecorosos são tratados com decoro especial, enquanto os que em nós são decorosos não precisam ser tratados de maneira especial. Mas Deus estruturou o corpo dando maior honra aos membros que dela tinham falta,”
1Co 12:20-24

segunda-feira, 27 de julho de 2015

Institucionalização da Missão

Institucionalização do que deveria continuar sendo uma Missão

Mt 24.2. Mas ele lhes disse: Não vedes tudo isto? Em verdade vos digo que não se deixará aqui pedra sobre pedra que não seja derribada.

Instituições religiosas ou não, geradas para sustentar uma missão, podem se transformar no seu caixão.

Com o tempo a missão deixa de ser sustentada pela instituição e passa a ser a sua única fonte de sustento. O programa televisivo, a Igreja, o seminário teológico, a evangelização e a música deixam de ser o veículo transportador e se transformam na carga a ser transportada por este mesmo público.

Aqueles, que atraímos com opunha programa, são atraídos com o objetivo de fornecerem recursos para manter o programa funcionando. 

Você precisa continuar sendo a minha missão, a mensagem deve continuar sendo o seu alimento, eu devo continuar sendo o veículo, que leva o alimento até você é Deus continuar sendo o meu sustentador.

Quando estas pedras mudam de lugar, a casa cai. O programa deixa de ser o meio às pessoas deixam de ser o fim eu passo a ser o objetivo é Deus deixa desmerecer a fonte.

Foi assim, que o sistema legal transformou o homem em seu beneficiador. Quando o sábado passa a se alimentar da despensa do humano, morreu e no seu lugar vive um farsante, que precisa ser enterrado logo, antes que contamine as pessoas com a sua morte e exija de gente inocente, que carregue o seu caixão.

Um coisa passou a ser outra coisa e outra coisa passou a ser uma coisa.

Ubira crespo

quarta-feira, 1 de julho de 2015

Luzes da Ribalta Evangélica

Uma equipe composta por dois neurocirurgiões, um ou dois anestesista e 3 enfermeiros, dedicam a um único paciente, 5 a 10 horas de seu dia para atenderem um único paciente de cada vez. Naquela sala você vê equipamentos, que custaram milhões de dólares e algumas daquelas pessoas se dedicaram cerca de 12 anos de estudos para poderem estar ali. Junte a isto os custos da construção, os impostos e os altos salários pagos a nestes profissionais para mante-los naquele emprego. 

A maioria dos pastores neopentecostais não têm nenhum preparo acadêmico, preferem atingir o povo no atacado, reunindo-os todos de uma vez em um local, para lhes falar à um só tempo. Dificilmente estão dispostos a visitar seus membros mais pobres, atender uma mesma pessoa por mais de meia hora e a divulgar seu telefone para atender emergências noturnas e diurnas. 

Mesmo assim, fazem questão de serem chamados de pastores, bispos ou apóstolos. O próprio significado da palavra pastor, diz que usam estes títulos equivocadamente. 

Poderiam se dar bem na posição de animadores de auditório, discursadores de palanques, apresentadores de programas de calouros e até como camelôs. Por algum estranho motivo, permitiram que a vida os levasse até o ponto de serem chamados de pastores. 

Segundo a Bíblia, o bom pastor dá a vida pelas suas ovelhas, deixa as 99 esperando por ele no auditório para correr atrás daquela que se perdeu pelos botecos, prostibulos, boates, bares, bocas de fumo, cracolandias, e motéis. Do jeitinho como fez o nosso Supremo pastor. 

Creio que estes lugares deveriam ser mais frequentados pelo clero, mas sempre à procura de almas perdidas e doidinhas para serem achadas e redirecionadas ao Corpo de Cristo. 

O que você acha? 

Talvez esteja até perguntando se eu já fiz isto.

Ubirajara Crespo 

Corpo ou MONUMENTO?

Corpo ou MONUMENTO?

Todo Corpo que não está pronto para ouvir do mesmo modo como mostra disposição para falar, é surdo ou não é Corpo. 
Instituições não ouvem e o formato de um corpo não lhe garante a identidade de Corpo.

Pode ser por causa de ausência de órgãos auditivos ou por ecesso de órgãos degustativos e linguísticos. Muitas cordas vocais aliadas a uma língua cumprida provocam sobreposições de um órgão sobre outro.

Um exame mais invasivo, poderia mostrar que, as ligações nervosas entre os membros, estão danificadas ou contaminadas por bactérias como soberba, agressividade, narcisismo. 

Talvez a Igreja tenha se transformado em um monumento morto, mas mantendo sempre a forma de um Corpo. Pode ter sofrido uma mutação e virado um Corpo de várias cabeças ou de muitas mãos ou de excesso de peristaltismo intestinal.

Paulo mostrou preocupação com este tipo de anomalia ao duvidar da funcionalidade de um Corpo feito só de orelha, só de boca, só de perna (1Co 12).

Talvez as endorfinas estejam em baixa produção, causando a falta de misericórdia, páz, longanimidade, domínio próprio e amor.

Seja qual for o formato, aparencia cor e a maquiagem usada durante seus cultos, precisamos tratar nossas doenças, urgentemente. 

Talvez o que falte mesmo é enterrar este defunto e nos casarmos novamente com Cristo e ver esta criança nascer.

segunda-feira, 15 de junho de 2015

Igreja se dividiu por causa de assuntos periféricos ao invés de se unir em torno do que é essencial

Você já notou, que os assuntos, que nos dividem poderiam ser categorizados como a periferia da fé cristã? Nada mais relevante do que quantidade de água, rótulos, nomes, sacramentalização de dias, festas, costumes, cumprimento da saia, tamanho do cabelo, pré/pós/mídi tribulacionismo, cerimonialismo religioso, gesticulacao litúrgica, preferências pessoais, nível do barulho litúrgico, o tamanho do tombo ungido, gostos pessoais, etc.

Deveríamos nos preocupar mais com a Igreja perseguida, com a mortificação da carne, com o desenvolvimento de atitudes como amor, pacificação, unidade, uso da língua, atitudes, ética, testemunho, evangelização, missões, o uso do dinheiro sagrado, o estabelecimento de limites para a disputa entre humildade X soberba, etc.

Se a quantidade de água usada no batismo fizesse alguma diferença, eu gostaria de ser batizado no Oceano Atlântico e não apenas com com apenas com algumas gotas de água ou de uma quantidade apenas suficiente para encher uma bacia, uma banheira, um batisterio ou uma piscina. 

O que será dos batisterios se a escassez de água, que assola o sudeste do país se agravar ainda mais?

Se falar em línguas, cair ao orar, levantar as mãos e exagerar na água me fizesse exagerar na santidade, no trato, na honestidade, na freiada da língua, no coração limpo, na contenção da vingança e da desconfiança, não teria motivo algum para economizar água.

Vamos deixar de lado estes assuntos, que tanto nos dividem e correr para o que é perfeito, conforme Paulo sugeriu em 1Co 13. Ora, o perfeito é o amor.

Igreja se dividiu por causa de assuntos periféricos ao invés de se unir em torno do que é essencia

Ubirajara Crespo 

segunda-feira, 4 de maio de 2015

Liderança total

O líder centralizador pode ser comparado com o sujeito no alto da escada, segurando a lâmpada no bocal, enquanto os demais giram a escada. Funções e títulos secundários são distribuídos, mas a lâmpada, o brilho e a luminosidade não saem da mão dele. 

Os demais agem, falam em seu nome, transmitem a sua energia, mas ele é a única fonte à qual precisam estar ligados, se quiserem brilhar. Transmitem as idéias dele e não a suas próprias idéias e, quando pregam, o esboço é dele.

Quando compartilha títulos, reserva para si o título maior: Pr. Sênior, Presidente, Apóstolo, Sumo Sacerdote e Sumo pontificie. Vacas de presépio dentro de uma garrafa onde "o cara" é uma rolha no gargalo de uma comunidade inteira. Jamais será ultrapassado, terá sempre o maior salário desta roda gigante, será sempre o eixo. Para chegar à este ponto, precisa convencer a todos da sua essencialidade e comprovar a secundariedade dos seus auxiliares. Neste ambiente as lideranças nascem, se transformam em promessas e morrem.

Funciona? Claro que funciona, mas não como um Corpo, o que, segundo as Escrituras, define a dinâmica de uma Igreja, mas como um organograma, o que não tem nada a ver com o funcionamento de um Corpo. Igreja não existe apenas para divulgar uma mensagem divina, mas a vida divina, da qual somos apenas o método, a mensagem e os transmissores. O único, que pode conservar aquela lâmpada nas mãos e subir naquela escada é Jesus. Se alguém ousar tomar o seu lugar, ele mesmo o colocará no pé da escada onde, juntamente com os seus "iguais" (ênfase total para iguais), fará a escada girar.

Se construirmos uma instituição religiosa, cujo produto é Jesus, então tudo o que nascer ali, morrerá ali, inclusive a instituição.

Ubirajara Crespo

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Defina Igreja

Versículo do dia.

Efésios: 4. 15. antes, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo, 16. do qual o corpo inteiro bem ajustado, e ligado pelo auxílio de todas as juntas, segundo a justa operação de cada parte, efetua o seu crescimento para edificação de si mesmo em amor.

Alguns teólogos mencionam a invisibilidade, como uma das caracteristicas da Igreja. Referem-se ao fato de que há uma Igreja arrolada na Terra, visível aos homens e outra arrolada no Céu. Querem dizer que a  visão humana de Igreja não empata com a visão de Deus. Podemos não estar vendo a mesma coisa quando olhamos para dentro das denominações.

Entendo o que pensam, mas não consigo ver utilidade alguma para uma Igreja invisível.

Mateus: 5.16. Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras, e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus".

Jesus não convocou um povo para se esconder dentro de estruturas denominacionais inflexíveis e separadas entre si, mas para formar um corpo capaz de se ajustar. Não precisamos nos unir apesar das diferenças, mas por causa delas. Diferenças completam ao invés de separar.

Se todo corpo fosse Batista, o que seria dos presbiterianos?
se todos fossem metodistas, o que seria dos assembleianos?
Se todo o Corpo fosse Calvinista, o que seria dos arminianos.

Se não conseguirmos juntar as peças, não seremos um corpo e neca de avivamento.

1Co.12.16. E se a orelha disser: Porque não sou olho, não sou do corpo; nem por isso deixará de ser do corpo. Se o corpo todo fosse olho, onde estaria o ouvido? Se todo fosse ouvido, onde estaria o olfato? Mas agora Deus colocou os membros no corpo, cada um deles como quis.

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Pedra que os construtores rejeitaram

1 Pedro: 2. 4. e, chegando-vos para ele, pedra viva, rejeitada, na verdade, pelos homens, mas, para com Deus eleita e precioso .

Jesus Cristo não é o tipo de pedra que a maioria dos homens não escolheriam para construir o seu pequeno mundo. Ele foi rejeitado, mas nós o achamos na Cruz, o lugar onde jogavam aqueles que consideravam o lixo humano feito de ladrões, assassinos e criminosos de alta periculosidade.

Pois foi neste lixo que achamos a nossa pedra mais preciosa, a pedra principal, a que mais nos orgulhamos e mais mostramos ao mundo que o rejeitou.

Estamos dispostos a dar até a nossa vida por esta preciosidade, Jesus Cristo é o nosso Senhor.

Deus pegou a mesma pedra que foi rejeitada pelos construtores do sistema mundano, e a transformou naquela em cima da qual construirá o seu Reino.

Jesus é a pedra da qual todos os que o rejeitarem não conseguirão se livrar, antes nela tropeçarão.

1 Pedro: 2. 7. E assim para vós, os que credes, é a preciosidade; mas para os descrentes, a pedra que os edificadores rejeitaram, esta foi posta como a principal da esquina, 8. e: Como uma pedra de tropeço e rocha de escândalo; porque tropeçam na palavra, sendo desobedientes; para o que também foram destinados.

Cuidado com ele, pois está prestes a voltar.

sexta-feira, 4 de julho de 2014

Dentro do Templo, mas fora do Céu

Provérbios 15:29. O Senhor está longe dos ímpios, mas ouve a oração dos justos.

Impiedade e justiça são forças que nos direcionam para perto ou longe de Deus. O caráter de Jeová não é atraído pela impiedade, mas reage muito bem a ambientes onde a justiça é praticada.

Isto significa que a litúrgica, por mais emocionante que seja, não garante que Deus esteve presente durante o culto, a menos que pratiquemos no nosso dia a dia a justiça, a coerência, a paz, a misericórdia e o amor .

Escolha a justiça e não se deixe impressionar demais pela euforia litúrgica praticada no Templo. Levantar as mãos, pular de alegria, se debulhar em lágrimas e continuar na prática diária da impiedade, é uma das atividades mais inúteis que alguém pode acrescentar ao seu dia a dia.

Seja santo

domingo, 22 de junho de 2014

Representante exclusivo da restauração nacional

Nenhum país será restaurado por influência política, médica, festivais Gospel, programas de TV, revistas, bandas, portais e rádios não foram escolhidos como representantes de Deus.

A única representante juramentada e capacitada para implantar o Reino, retirando as pessoas do mundo para transporta-las para no Reino do seu amor é a Igreja.

Efésios 1:21-23. "muito acima de todo governo e autoridade, poder e domínio, e de todo nome que se possa mencionar, não apenas nesta era, mas também na que há de vir. Deus colocou todas as coisas debaixo de seus pés e o designou cabeça de todas as coisas para a igreja, que é o seu corpo, a plenitude daquele que enche todas as coisas, em toda e qualquer circunstância".

De todos estas organizações, a mais distante é a política. Igrejas ainda podem ter editoras, programa de TV e revistas, mas partidos políticos não podem ter.

O cristão pode ser político, médico, jornalista, administrador, motorista, estivador, etc, mas a escolha da profissão é pessoal e não pode exercer o seu trabalho em nome da Igreja, mas deve dar um bom testemunho.

Ubirajara Crespo

sábado, 17 de maio de 2014

Crescimento Orgânico

CRESCIMENTO ORGÂNICO.

Ef 4:16: É ele quem faz com que o corpo todo fique bem ajustado e todas as partes fiquem ligadas entre si por meio da união de todas elas. E, assim, cada parte funciona bem, e o corpo todo cresce e se desenvolve por meio do amor.

Um organismo sadio nasce com todos os órgãos já prontos e produz o seu proprio crescimento. Não tem necessidade de adquirir pecas fabricadas por outro organismo.

Quando nasci meu corpo já pronto, ocupava um espaço muito pequeno, hoje precisa de quase dois metros. Possuo os mesmos braços, olhos, orelhas e pernas que possuia no dia em que nasci, apenas maiores e mais funcionais.

Quando grandes empresas fagocitam estruturas empresariais de menor porte, acrescentam uma nova estrutura aquela que já existia. Vamos chamar a nisto de crescimento agregado, que pode ocorrer com estrururas feitas de matéria prima morta, como metal, concreto, plástico e telhas.

No Corpo tudo é vivo, enquanto o plástico e a cera são robotizaveis, revestidos com pele sintética e se parece com material orgânico vivo. A estátua da besta também falará. Além disso, foi-lhe dado poder para dar fôlego à imagem da primeira Besta, de maneira que ela tivesse a capacidade de falar, e fizesse com que todos os que não lhe prestassem adoração fossem mortos (Ap 13.15).

Os grupos religiosos, que mais crescem hoje, costuram alianças e soldam outras comunidades ao seu corpo. Técnica usada no mundo corporativo quando duas ou mais empresas se fundem em uma só, visando aumentar o seu alcance e competitividade.

Metal, tecnologia, números e tijolo podem ser fundidos ou aparafusados, mas com material orgânico não ocorre a mesma facilidade.

Isto é expancionismo e não crescimento. Corpo sadio não precisa de remendos, próteses e colagens não compatíveis entre si. Próteses são anti naturais, rangem e doem.

O crescimento orgânico é a forma mais natural de se crescer.

O que sair disto não é Igreja, é empresa, é montagem, é LEGO.

Ubirajara Crespo

segunda-feira, 10 de março de 2014

Igreja e Estado

A Igreja negociadora virou uma empresa desgovernada em rota de colisão 

Constantino era o imperador romano, considerado, portanto, como filho dos deuses Romanos. Ele transformou o cristianismo na religião oficial de todo o seu império.

Como imperador, e filho dos deuses, se auto proclamou dirigente da Igreja Cristã.

As fronteiras imperiais eram assediadas por bárbaros, e internamente havia uma guerra contra os cristãos, que se diziam cidadãos do Céu e não de Roma, se negando a usar a saudação oficial do Império, que era "ave cesar", que significava um reconhecimento da divindade do imperador. Eles preferiam dizer "Ave Cristo".

Precisando de soldados para garantir as suas fronteiras, Constantino achou um desatino promover o extermínio de jovens cristãos, que poderiam ser convocados para lutar em seu exército.

Os cristãos da época acharam vantajoso o acordo que os liberava da perseguição e lhes devolvia a cidadania romana.

Imediatamente os templos, erigidos aos deuses  nacionais, foram transformados em templos cristãos. Estes deuses foram batizadas na Igreja Cristã e suas imagens receberam o nome dos apóstolos e outros personagens bíblicos.

A "Igreja cristã" aumentou, em muito, o seu número de adeptos, mas não porque o povo se converteu a Cristo, mas por causa do decreto imperial.

Na mesma época foram feitas algumas adaptações e um concílio patrocinado por esta Igreja, deu a Cristo o título de Rei de Roma, sendo, portanto considerado como Deus.

Constantino prolongou, por um bom tempo, a vida do Império e os cristãos salvaram a sua própria pele das garras dos leões.

Assim ocorreu a primeira aliança entre a Igreja e os políticos. Cada um cedeu um pouco e entre mortos e feridos salvaram-se todos, menos a Igreja.

Assim ocorreu durante a reforma, quando Lutero se abrigou debaixo do guarda chuva dos príncipes alemães, em troca do seu apoio ao movimento reformador. Cede daqui, avança dali, ajeita acolá, a costura ficou pronta e a Alemanha se livrou da influência de Roma e os cristãos oficializaram o início de uma nova Igreja. Meio desfigurada, mas dava pro gasto.

Os demais Reformadores tentaram evitar a égide de Roma e as alianças com o estado. Uns conseguiram e outros não.

A Igreja atual já se matriculou no curso de corte e costura política e avança, gradativamente, na direção de tomar as rédeas do Estado. Mais uma vez se descaracteriza, pois parece mais disposta a ceder do que avançar.

Um presidente que se eleja como evangélico, e não como cidadão, seria um desastre para o cristianismo. Pois nos levaria de volta para uma posição que nunca deveríamos ter ocupado.

A Igreja não é um negócio desta Terra. A única aliança que temos de fazer é com Jesus.

Vamos parar com esta paquera com o mundo. Isto é traição, é prostituição.

Ubirajara Crespo

Igreja e Estado

A Igreja negociadora virou uma empresa governada por humens.

Constantino era o imperador romano, considerado, portanto, como filho dos deuses Romanos. Ele transformou o cristianismo na religião oficial de todo o seu império.

Como imperador, e filho dos deuses, se auto proclamou dirigente da Igreja Cristã.

As fronteiras imperiais eram assediadas por bárbaros, e internamente havia uma guerra contra os cristãos, que se diziam cidadãos do Céu e não de Roma, se negando a usar a saudação oficial do Império, que era "ave cesar", que significava um reconhecimento da divindade do imperador. Eles preferiam dizer "Ave Cristo".

Precisando de soldados para garantir as suas fronteiras, Constantino achou um desatino promover o extermínio de jovens cristãos, que poderiam ser convocados para lutar em seu exército.

Os cristãos da época acharam vantajoso o acordo que os liberava da perseguição e lhes devolvia a cidadania romana.

Imediatamente os templos, erigidos aos deuses  nacionais, foram transformados em templos cristãos. Estes deuses foram batizadas na Igreja Cristã e suas imagens receberam o nome dos apóstolos e outros personagens bíblicos.

A "Igreja cristã" aumentou, em muito, o seu número de adeptos, mas não porque o povo se converteu a Cristo, mas por causa do decreto imperial.

Na mesma época foram feitas algumas adaptações e um concílio patrocinado por esta Igreja, deu a Cristo o título de Rei de Roma, sendo, portanto considerado como Deus.

Constantino prolongou, por um bom tempo, a vida do Império e os cristãos salvaram a sua própria pele das garras dos leões.

Assim ocorreu a primeira aliança entre a Igreja e os políticos. Cada um cedeu um pouco e entre mortos e feridos salvaram-se todos, menos a Igreja.

Assim ocorreu durante a reforma, quando Lutero se abrigou debaixo do guarda chuva dos príncipes alemães, em troca do seu apoio ao movimento reformador. Cede daqui, avança dali, ajeita acolá, a costura ficou pronta e a Alemanha se livrou da influência de Roma e os cristãos oficializaram o início de uma nova Igreja. Meio desfigurada, mas dava pro gasto.

Os demais Reformadores tentaram evitar a égide de Roma e as alianças com o estado. Uns conseguiram e outros não.

A Igreja atual já se matriculou no curso de corte e costura política e avança, gradativamente, na direção de tomar as rédeas do Estado. Mais uma vez se descaracteriza, pois parece mais disposta a ceder do que avançar.

Um presidente que se eleja como evangélico, e não como cidadão, seria um desastre para o cristianismo. Pois nos levaria de volta para uma posição que nunca deveríamos ter ocupado.

A Igreja não é um negócio desta Terra. A única aliança que temos de fazer é com Jesus.

Vamos parar com esta paquera com o mundo. Isto é traição, é prostituição.

Ubirajara Crespo

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Administração teocrática

Êx 19.1. No terceiro mês depois que os filhos de Israel haviam saído da terra do Egito, no mesmo dia chegaram ao deserto de Sinai. 5. Agora, pois, se atentamente ouvirdes a minha voz e guardardes o meu pacto, então sereis a minha possessão peculiar dentre todos os povos, porque minha é toda a terra; 6. e vós sereis para mim reino sacerdotal e nação santa. São estas as palavras que falarás aos filhos de Israel.

Segundo a interpretação secularista, as leis de um país expressam daquilo que o povo é, e faz. Deus, porém, como o fundador de a Israel, caminhou na contramão deste sistema, convocando um povo para ser a expressão de seu caráter, conforme expresso nas suas leis.

Israel era um reino sacerdotal, uma teocracia e teocracia não são construídas democraticamente, mas com o voto de uma única pessoa: Deus.

Ao povo restava apenas a opção de obedecer ou não aos estatutos. Esta decisão lhe garantiria a posição de propriedade peculiar, única, exclusiva.

A estrutura do governo era sustentada pelo sistema de imposto único. A arrecadação era feita por um órgão que Malaquias chamava de "A casa do Tesouro", provavelmente de administração sacerdotal, onde eram recolhidos os dízimos.

O dinheiro era de Deus e não da nação e deveriam ser usados conforme os critérios determinados por Deus e não conforme a cabeça do Rei. Salomão fez isto muito bem, até que se achou com o direito de sustentar um harém particular, quase um motel de uso exclusivamente seu.

Olhar para o cofre de uma instituição religiosa como se fosse seu, é uma decisão que trará sérios prejuízos para quem se acha dono.

Nossa responsabilidade, como pastores, é imensa, mas a nossa atividade é essencialmente de ordem pastoral e não administrativa. Lidamos com gente, o Corpo Vivo de Cristo, e não com aplicações, construções, especulação imobiliária e estruturas mortas.

Nossa especialidade é Semear cotações com sementes como amor, paz, longanimidade, domínio próprio etc.

As demais responsabilidades devem ser delegadas à um Colegiado.

Ubirajara Crespo

Estudo incentivado por mensagem preferida pôr Eduardo, na reunião dos homens na Igreja Evangélica do Maracanã .