A Nova Direção proposta aqui é uma retomada de rumos já tomados pela Igreja. resgatar valores antigos, mas sem perder o contato com a realidade atual. A mensagem de Jesus continuará relevante, mesmo que seque a erva e murche a flor.
Tudo o que vem dele, é permanente.
O amor de Cristo por nós, sua Palavra, suas promessas e sua posição única no topo do universo, continuam sendo as mesmas, aconteça o que acontecer na base. Se for preciso, vamos mudar o rumo e voltar atrás, para bem longe da cauda.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

Recuperar a essência ou perdê-la para sempre.

A minha reação alérgica a números tem a ver com experiências passadas. Mas reconheço que, como  vento, podem levantar a poeira caída no chão. Até tornados passam, deixam seus rastros e vão embora. A gente fica esperando pelo próximo, mas a data da sua volta, ninguém sabe.
Jesus mesmo promoveu alguns ajuntamentos, mas eles não foram o seu foco principal. Avivamentos genuínos não são massivos, são individuais.

Poderíamos dizer, pelos relatos de sua vida e ministério, que Jesus priorizava pessoas e não instituições, pois não fundou nenhuma, como também não o fizeram os seus discípulos mais chegados. A institucionalização ocorreu bem depois.

As grandes reuniões de Atos, continuaram sendo eventuais, como nos Evangelhos. Além da reunião do dia de Pentecoste, aconteceu pouca mexida nesta massa. Fomos informados, de um ressenciamento dos seguidores de Cristo, que chegou a 5000, mas nada garante, que aquele povo se reunia regularmente em um grande ajuntamento. Até mesmo porque a Igreja ainda era uma atividade clandestina. Falei atividade e não instituição.

Mesmo na Igreja de Éfeso, o mover mais quente de Atos, não se fala de reuniões em templos. Aliás, aquele fogo, porém, derreteu. Éfeso está onde hoje é a Turquia, não passa de ruínas, e não há qualquer evidência de presença cristã no local. Até João (Ap. 2), acusou essa igreja de abandonar o seu primeiro amor antes de seu vigésimo aniversário. Grandes reuniões ocorreram e devem continuar ocorrendo, mas não se impressione demais com elas. 

Prefiro dar à luz, a moda antiga, sentindo as dores do parto, acordando de madrugada para preparar a mamadeira, vê-lo evoluir para a papinha, sopinha, frutinha e finalmente o carrasco. Não coloquei uma placa na parede do quarto dos meus filhos contendo os seguintes horários das refeições. Domingo: almoço de celebração em 3 horários diferentes. Quinta: lanchinho celular.

O discipulado não acontece somente porque promovemos um mini culto na sala de casa, com pouca gente. Muda apenas o tamanho do auditório. Quero saber onde você e seu discípulo estarão depois que tomarem o café e se despedirem?

Jesus chamou 12 para estarem com ele e não para uma pequena reunião semanal de estudo bíblico. Isso a gente encontra em cada esquina, algumas com milhares de pessoas e outras com meia dúzia.

Ubirajara Crespo