A Nova Direção proposta aqui é uma retomada de rumos já tomados pela Igreja. resgatar valores antigos, mas sem perder o contato com a realidade atual. A mensagem de Jesus continuará relevante, mesmo que seque a erva e murche a flor.
Tudo o que vem dele, é permanente.
O amor de Cristo por nós, sua Palavra, suas promessas e sua posição única no topo do universo, continuam sendo as mesmas, aconteça o que acontecer na base. Se for preciso, vamos mudar o rumo e voltar atrás, para bem longe da cauda.
Mostrando postagens com marcador AVIVAMENTO. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador AVIVAMENTO. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 3 de outubro de 2017

Manifestação sobrenaturais, cuja narrativa parecem tiradas do diário de John Wesley.

Em seu diário, John Wesley comenta sobre certas manifestações espirituais que acompanharam seu ministério. As seguintes palavras foram escritas no mes de novembro de 1759, na cidade de Everton, Inglaterra, onde o avivamento metodista foi acompanhado por fenômenos como visões, gritos, convulsões, quedas e “transes” no Espírito:

John Wesley

John Wesley

O perigo era atribuir demasiado valor às circunstâncias extraordinárias tais como gritos, convulsões, visões e transes, 1como se estas coisas fossem essenciais na obra de transformação interior, de tal forma que tal obra não pudesse acontecer sem tais manifestações. Talvez o perigo esteja em atribuir-lhes muito pouco valor, em condená-las de forma generalizada, em pensar que nelas não havia nada de Deus e vê-las como um obstáculo na concretização de Sua obra.

A verdade é que Deus, de forma repentina e profunda, convenceu a muitos de que eles estavam perdidos em seus pecados. A consequência natural de tal convicção era gritos repentinos e fortes convulsões. Para fortalecer e encorajar aqueles que creram, e para tornar sua obra ainda mais aparente, ele concedeu sonhos divinos a alguns, transes e visões a outros.

Em alguns casos, com o passar do tempo, a carne se misturava à graça. Igualmente, Satanás falsificou estas manifestações de Deus para desacreditar a obra como um todo; mesmo assim, não é sábio desqualificar este aspecto do ministério do mesmo modo como não podemos desqualificar o ministério como um todo.

Sem dúvida nenhuma, no começo tais manifestações eram totalmente de Deus. Em parte, até hoje continuam sendo, e Ele nos dará discernimento, de caso em caso, para saber até que ponto tal obra é pura e em que ponto ela se contamina e se degenera.

Bibliografia

Wesley, John. Journal of John Wesley. Grand Rapids, MI. Christian Classics Ethereal Library. p. 255.

NOTAS:

  1. Nota do Tradutor: Transe, do inglês “trance“, era como Wesley chamava o fenômeno em que as pessoas perdiam seus sentidos, caiam, eram arrebatadas em espírito e tinham visões do mundo espiritual (p. 251). 
............
Nota: Não podemos dizer, que os fenômenos narrados por John Wesley, são condições absolutamente necessárias para um movimenro avivalista, pois não há nada na Bíblia que nos ensine tal coisa. No dia de Pentecostes alguns dos sinais ali narrados, não foram previstos por Joel. Devemos, porém, reconhecer, que a narração dos fatos, foi apenas atribuída a Wesley. Também não podemos demonizar tais manifestações.
Olho para as atuais manifestações pentecostais e vejo muito estrelismo, muito exibicionismo e claras induções tipo: — vou contar até 3 e você será tocado pé,o poder de Deus. No entanto não temos o direito de nós colocarmos no papel de Juízes e apontar um dedo acusador, como se fôssemos donos da verdade. Podemos apenas dizer se é bíblico ou não, mas sempre temendo a Deus, tomando o cuidado para não atribuir ao diabo, a obra que foi realizada pelo Espírito Santo. Falo de reações vistas durante o próprio Pentecostes: — estes homens parecem bêbados. Falaram isso ao verem em meio aos sinais previstos por Joel, algumas manifestações, que não estavam previstas, mas que podem ser classificadas como do mesmo tipo daquela que Joel previu. Compare os textos e comprove.
Vamos nos curvar perante a soberania de Deus e deixar que ele faça como bem entender. Wesley não está mais entre nós, para confirmar a veracidade das narrativas a ele atribuídas. 
A Igreja deve se comportar como um veículo condutor de manifestações divinas e não como uma barreira.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

Recuperar a essência ou perdê-la para sempre.

A minha reação alérgica a números tem a ver com experiências passadas. Mas reconheço que, como  vento, podem levantar a poeira caída no chão. Até tornados passam, deixam seus rastros e vão embora. A gente fica esperando pelo próximo, mas a data da sua volta, ninguém sabe.
Jesus mesmo promoveu alguns ajuntamentos, mas eles não foram o seu foco principal. Avivamentos genuínos não são massivos, são individuais.

Poderíamos dizer, pelos relatos de sua vida e ministério, que Jesus priorizava pessoas e não instituições, pois não fundou nenhuma, como também não o fizeram os seus discípulos mais chegados. A institucionalização ocorreu bem depois.

As grandes reuniões de Atos, continuaram sendo eventuais, como nos Evangelhos. Além da reunião do dia de Pentecoste, aconteceu pouca mexida nesta massa. Fomos informados, de um ressenciamento dos seguidores de Cristo, que chegou a 5000, mas nada garante, que aquele povo se reunia regularmente em um grande ajuntamento. Até mesmo porque a Igreja ainda era uma atividade clandestina. Falei atividade e não instituição.

Mesmo na Igreja de Éfeso, o mover mais quente de Atos, não se fala de reuniões em templos. Aliás, aquele fogo, porém, derreteu. Éfeso está onde hoje é a Turquia, não passa de ruínas, e não há qualquer evidência de presença cristã no local. Até João (Ap. 2), acusou essa igreja de abandonar o seu primeiro amor antes de seu vigésimo aniversário. Grandes reuniões ocorreram e devem continuar ocorrendo, mas não se impressione demais com elas. 

Prefiro dar à luz, a moda antiga, sentindo as dores do parto, acordando de madrugada para preparar a mamadeira, vê-lo evoluir para a papinha, sopinha, frutinha e finalmente o carrasco. Não coloquei uma placa na parede do quarto dos meus filhos contendo os seguintes horários das refeições. Domingo: almoço de celebração em 3 horários diferentes. Quinta: lanchinho celular.

O discipulado não acontece somente porque promovemos um mini culto na sala de casa, com pouca gente. Muda apenas o tamanho do auditório. Quero saber onde você e seu discípulo estarão depois que tomarem o café e se despedirem?

Jesus chamou 12 para estarem com ele e não para uma pequena reunião semanal de estudo bíblico. Isso a gente encontra em cada esquina, algumas com milhares de pessoas e outras com meia dúzia.

Ubirajara Crespo

domingo, 31 de agosto de 2014

Avivamento

João: 8. 44. Vós tendes por pai o Diabo, e quereis satisfazer os desejos de vosso pai; ele é homicida desde o princípio, e nunca se firmou na verdade, porque nele não há verdade; quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio; porque é mentiroso, e pai da mentira.

O alcance e a profundidade da sua mentira serão os mesmo da verdade que você rejeitou. Os fariseus abandonaram seu amor pela Palavra de Deus e se apegaram a interpretações montadas para justificar algumas de suas atitudes.

Gambiarras hermenêuticas (princípios de interpreta adulterados) transformaram o certo em errado. Com estes mesmos príncipe mataram Jesus, justificaram Barrabás, eliminaram os profetas verdadeiros, coroaram os falsos.

Será assim, que a Igreja institucionalizada se tornará a predadora do Corpo de Cristo que estará sobre fogo cruzado. A maioria festiva sufocará a minoria contrita. De um lado o sinal do amor será substituído por arrepios, tremores, prosperidade e outras esquisitices, do outro a liberdade será serciada, usando como desculpa o zelo doutrinário.

Escolha o seu lado.

Apocalipse: 13.6. E abriu a boca em blasfêmias contra Deus, para blasfemar do seu nome e do seu tabernáculo e dos que habitam no céu. Também lhe foi permitido fazer guerra aos santos, e vencê-los; e deu-se-lhe autoridade sobre toda tribo, e povo, e língua e nação.

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

FORMA OU CONTEUDO?

A MÁ NOTÍCIA


 

O avivamento não chegou e não terá um formato corporativo, ao contrario, ele abolira todos os formatos. A gente nem sabe tudo sobre o avivamento, e quem diz saber, não aceitara um formato diferente do seu e quando ocorrer, passará batido. O povo perece por falta de conhecimento e não por falta de agito.

Todo mundo quer levar a fama de ser o veículo do avivamento, mas esta marca não será registrada no cartório. Na verdade as estrelas sairão de cena. Só Jesus brilhará. O formato religioso atual glorifica homens, por isto tem de cair.

Desculpe a radicalidade, mas a Bíblia diz que se não for assim ele não entra. Percebi que em determinados momentos, ao mudar a liturgia era como se tivesse mudado de tigela, mas não de cardápio. Era mudar o ritmo, mas não de letra.

Resolvi ir além do formato, e mudar o coração. Isto só Deus pode fazer, mas só faz se eu reconhecer o erro e pedir.

Quando o avivamento chegar mudaremos a cara e o coração. 
Aqui, ali e acolá, algum vírus invade algum membro do Corpo de Cristo, mas mesmo assim a harmonia não é perdida. Imitações, bonecos de cera, Igrejas ciborg e organismos cibernéticos enferrujam, derretem, se autodestroem.

No Corpo de Cristo o sistema imunológico funciona perfeitamente e os membros não atacam uns aos outros, antes, se sustentam. Esta institu...ição já havia engolido o Corpo de Cristo, faz tempo...
Mas não existe caos dentro do Corpo de Cristo. O caos esta fora, mas quem esta nele pensa que esta no Corpo. No Corpo as partes estão ligadas harmoniosamente entre si e efetuam o seu próprio aumento em amor. 

Se não funcionar assim não é Corpo, mas apenas um esqueleto com a seguinte lápide:
AQUI JAZ UMA DAS PRETENDENTES A NOIVA DO CORDEIRO.

Recomendo um livro medita profundamente sobre assuntos como este:

quinta-feira, 10 de março de 2011

ILUMINAÇÃO ESPIRITUAL

Isaías 60.22–61.5:  Nunca mais se porá o teu sol, nem a tua lua minguará; porque o SENHOR será a tua luz perpétua, e os dias do teu luto findarão.
E todos os do teu povo serão justos, para sempre herdarão a terra; serão renovos por mim plantados, obra das minhas mãos, para que eu seja glorificado.
O menor virá a ser mil, e o mínimo uma nação forte; eu, o SENHOR, ao seu tempo o farei prontamente.

Tempos apocalípticos trarão tamanha iluminação espiritual que nos tornaremos possuidores de capacitações igualmente grandes. A contrapartida será imediata, pois haverá também um avivamento de religiões misteriosas, que prometem liberar capacitações mediante rituais, obrigações, pactos, sacrifícios de animais e pessoas. Nesse tipo de religiosidade santidade não é exigida porque essas entidades não estão preocupadas com pureza de propósito e de comportamento. O caminho é largo, mas conduz à perdição. Com Deus, o mapa do milagre inclui uma passagem obrigatória e permanente pela crucificação do EU. 

É melhor obedecer do que sacrificar, mas nem sempre confortável. 

O satanismo oferece progresso rápido porque o pacto assinado com o diabo não exige santificação, apenas rituais. Se o mover sobrenatural de Deus parece caminhar lentamente, é por causa da nossa lentidão para obedecer ao pacto feito com Ele. Da nossa santidade, Jeová não abre mão, e quem anda devagar nessa área somos nós [veja mais em Hebreus 12.14].

A título de incentivo, Deus mostra as possibilidades. Veja como tudo tem a ver com serviço:

1. pregar boas-novas aos quebrantados
2. curar os quebrantados de coração
3. proclamar libertação aos cativos
4. pôr em liberdade os algemados
5. apregoar o ano aceitável do Senhor
6. consolar todos os que choram
7. pôr uma coroa em vez de cinzas
8. pôr óleo de alegria, em vez de pranto
9. pôr veste de louvor, em vez de espírito angustiado

Somos co-herdeiros das mesmas capacitações do Messias, desde que andemos como Ele andou. Os movimentos reconhecidos pela História, como avivamentos, deixaram evidências de restauração pessoal, social, administrativa e familiar, não apenas euforia litúrgica. 

Ubirajara Crespo

sábado, 5 de fevereiro de 2011

AVIVAMENTO GOSPEL

Jr.11.3,4: "Assim diz o SENHOR, o Deus de Israel: Maldito o homem que não atentar para as palavras desta aliança, que ordenei a vossos pais, no dia em que os tirei da terra do Egito, da fornalha de ferro, dizendo: dai ouvidos à minha voz e fazei tudo segundo o que vos mando; assim, vós me sereis a mim por povo, e eu vos serei a vós outros por Deus".

O povo de Israel quebrou o contrato redigido no mesmo dia em que foi tirado do Egito. Jeremias, exercendo o antipático papel de oficial de justiça, entregava uma notificação que mostrava as consequências desta quebra de aliança. Desterro, vergonha, prisão e insegurança eram alguns dos itens previstos no contrato escrito com letras grandes. O nível de comprometimento dos israelitas com os deuses atingiu níveis altíssimos. Algo totalmente inconcebível para Jeová. "Porque o SENHOR dos Exércitos, que te plantou, pronunciou contra ti o mal, pela maldade que a casa de Israel e a casa de Judá para si mesma fizeram, pois me provocaram à ira, queimando incenso a Baal" (Jr 11.17). 

Somente um sincero arrependimento livraria toda a nação de uma estrepitosa tragédia. O povo, porém, insistia em trilhar um caminho mais fácil: Colocou mais lenha no altar do holocausto e dobrou o número de animais ali sacrificados. O esparadrapo litúrgico não substitui o reconhecimento do pecado, a restituição do dano e a mudança de atitude.

O balanço Gospel nada acrescenta se faltar não for acompanhado de altas doses de arrependimento!!!! Acrescente ainda doses generosas de fé humildade, consideração, respeito pelo próximo, ações de graça, misericórdia e domínio próprio.

Os sacerdotes atiçavam o fogo do altar e derramavam mais sangue sobre ele, mas não confrontavam o pecado nem incentivavam uma mudança de vida. Ativismo ritualístico imprestável e sem conteúdo. "Que direito tem na minha casa a minha amada, ela que cometeu vilezas? Acaso, ó amada, votos e carnes sacrificadas poderão afastar de ti o mal? Então, saltarias de prazer (Jr 11.15).

Tentar maquiar o pecado com as cores de um intenso ativismo religioso é uma solução paliativa que só satisfaz o pecador, mas não aplaca a ira do Supremo Juiz.

Baladas Gospel, camisetas, botons, bonés e pulseiras com cores cristãs não enganam mais ninguém. Arrependa-se, restitua o dano causado e não faça mais isto.  

Ubirajara Crespo



sábado, 29 de janeiro de 2011

AVIVAMENTO DE SUPERFÍCIE

Obras de superfície elegem políticos mas não conferem autenticidade de obreiro. Refiro-me a grandes movimentos, Mega igrejas, multidões, curas, exorcismos e exposição na mídia. 

Desde o início, a intangível fé salvadora sofreu a oposição da diabólica salvação pelas obras. Este tipo de doutrina foi o alicerce para a construção de diversas formas de compensações.

Abraão, conhecido como pai da fé e de um povo que buscava a salvação pelas obras, não cria na eficácia do esforço próprio. Ele não embarcou nesta furada.

"Que, pois, diremos ter alcançado Abraão, nosso pai segundo a carne?" (Romanos 4.1).

O mesmo critério aplicamos aos galardões, que são prêmios e bonificações conferidos a quem fez hora extra, extrapolou e extravasou, sem impulsos carnais.

Podemos nos envolver tanto com um personagem imaginário, que ações escusas deste mesmo personagem pareçam justificáveis. Coisa do tipo: "Se é para o Reino, tudo vale". Por mera conveniência, o senhor deste reino chama a si mesmo de jesus, mas diferente do original, governa com leis adaptáveis e aceita compensações. Toda ação, inclusive a mentira, que é de paternidade duvidosa, se justifica, se promover uma boa causa. No país das maravilhas cada um tem a sua interpretação particular das Escrituras.

Candidatos à cargos de executivos celestiais apresentaram o seu currículo para Jesus: "Em teu nome expulsamos demônios, distribuímos bens entre os pobres, etc, etc, etc" (Mateus 7). Uma longa lista, apresentando ações, que segundo eles, faria com que a balança pendesse mais para o seu lado bom do que o seu lado mau.

A resposta do Mestre foi curta e grossa: Não vos conheço!

O nome de Cristo, se usado com dramaticidade, parecerá uma documentação espiritual capaz de convencer a quem não possui instrumentos de detecção de última geração.

"Porque, se Abraão foi justificado por obras, tem de que se gloriar, porém não diante de Deus" (Romanos 4.2:).

A glória conferida pelas obras de grande visibilidade já foi desfrutada, todinha, na Terra. Não sobrará nada a ser levado para o céu. Se algum destes, conseguir passar a porteira, só lhes restará o palito do sorvete, e olhe lá!!




A vida emocional de Simão Pedro
A Pedra Frágil


Michael Card é autor de músicas como El Shaday e Emanuel. Você encontrará aqui a conjugação perfeita da visão do teólogo com a visão psicológica e emocional do músico.

Prefácio por Brennam Manning.






quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

A Unção de Toronto

A TÃO PROPALADA UNÇÃO DE TORONTO É ISTO.

ISTO PODE SER CHAMADO DE AVIVAMENTO?

JULGUE POR VOCÊ MESMO



É ÁGUIA OU URUBU? Não se deixe enganar pela altura do vôo. Que não seja este o seu critério de avaliação para qualificar uma ave. Você poderá confundir águia com urubu.
Não leve em consideração apenas as semelhanças, mas também a diferença entre estas duas aves. Ambas têm asas e voam alto, mas o cardápio difere totalmente. 



Tanto o lobo quanto o cordeiro pregam, apresentam resultados, dirigem louvor, vestem terno escuro ou usam gel, mas divergem nas motivações.
Segundo as Escrituras, este tipo de gente disputará um lugar de destaque em palcos religiosos.
Cuidado com ele.

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

40 ANOS DO WOODSTOCK, PSICODELISMO E JESUS PEOPLE

JESUS PEOPLE

Nos anos 60 surgiu o movimento denominado como Jesus People. Um pessoal cabeludo, usando roupas largas e coloridas que vivia em comunidades. Todos eram Hyppies e se diziam convertidos a Cristo.

A própria imprensa secular noticiava o fenômeno de avivamento religioso que varria a Europa e os Estados Unidos. Lembro-me das fotografias de jovens sendo batizados em barris, em banheiras, rios, mares e todo tipo de água onde pudessem afundar alguém.

Diziam não às drogas, ao amor livre, mas pareciam esquisitos. A Igreja não estava preparada para receber um grupo tão exótico quanto este.

Movimento hyppie trouxe o psicodelismo, as comunidades, mas também o Jesus People. Um início de avivamento nos anos 60, interrompido pelo preconceito denominacional.

Ninguém queria puxar esta sardinha fedida para a sua lata. Literalmente tiveram de se virar sozinhos. É claro, que sem assistência, este grupo produziu algumas doutrinas pelo menos interessantes e bizarros. O que causou espanto por parte das igrejas da época.

Cenas de grupos compostos por centenas de jovens, entravam descontraidamente em templos de velhas igrejas reformadas, cuja assistência, apesar de magnífica, contavam com um grupo de no máximo 50 assistentes.

Todos velhos e carrancudos e as gerações se chocaram. Chama a polícia!!! Diziam. Manda vir a tropa de choque!!! Onde se viu mascar "xiclete" na hora do culto!!!! Esses caras não tomam banho!!!! Devem ser ladrões!!!!!

E deu no que deu. Walter Henrichsen escreveu um livro relatando aqueles bons tempos de uma fé inocente, nascida em gente que não sabia nada sobre denominações, usos e costumes.


VEJA O VÍDEO ACIMA

quinta-feira, 23 de julho de 2009






AVIVAMENTO

Será que estamos chegando lá?

O avivamento é uma esperança de todos nós, que mais parece uma utopia. Conversando com o Rabino messiânico Marcos Andrade Abrão, autor do livro “Filho de Elohim”, chegamos juntos a seguinte declaração: Nem Israel, nem a Igreja estão preparados para o avivamento.

Particularmente entendo o seguinte: O primeiro deverá passar por uma grave crise, antes de olhar para aquele a quem traspassaram, e isto ocorrerá somente depois de terem sido enganados pelo anticristo, o falso messias, que firmará com eles uma falsa aliança. A Igreja, por sua vez, montou uma estrutura incapaz de conter um movimento nesta proporção. Hoje ela não passa de um odre que romperia ao tentar conter um conteúdo de natureza incompatível com a sua atual formulação.

Como resultado deste avivamento, milhões de pessoas em todo o mundo serão impactadas e procurarão abrigo para a sua fé em alguma estrutura religiosa. Isto forneceria uma incrível oportunidade para as aves de rapina que construíram ninhos nos ramos desta grande árvore na qual a Igreja se transformou. Executivos da fé ligariam imediatamente suas planilhas para calcular o retorno financeiro e acionariam sua equipe de marketing visando montar estratégias para tirar deste mover o máximo possível. Em suma, se o Espírito Santo soprasse um movimento desta envergadura sobre a Igreja, estaria dando um tiro em seu próprio pé.

Um dos livros mais esclarecedores sobre avivamento, que eu já li, foi “Help! I Need Somebody” de Walter Heidenreich que relata um mover de Deus em meio à comunidade Hippye à qual pertencia nos idos dos anos 60. Era um grupo realmente diferente de todos, que seriam recebidos com surpresa os diáconos mais compreensivos escalados como recepcionistas. Imagine deparar-se com um grupo de cerca de centenas pessoas sujas, fedorentas e de postura incomum tentando entrar naquelas tradicionais igrejas européias à busca de ensinamento que fortalecesse a sua fé. Muitos chegaram a chamar a polícia, pensando se tratar de um arrastão. O movimento se esvaiu, com o tempo, pois foi repelido por uma igreja que não estava preparada para ele.

Pude sentir na própria pele enquanto pastoreava uma igreja em São Paulo que começou a ser frequentada por moradores de rua. Nosso pessoal usava os banheiros para cortar o cabelo, catar piolhos, tratar feridas e dar banho naquela turma com escova e desinfetante. Os diáconos torciam o nariz, questionavam o valor do trabalho e procuravam razões para acabar com o aquela "farra". O motivo alegado era que o banheiro seria usado no domingo por pessoas limpas. Mesmo alegando que tudo estaria limpo e desinfetado para os dias de reunião, aqueles ataques se tornavam cada vez mais violentos e desleais. A minha igreja lutava contra o evangelismo dos excluídos. Um verdadeiro banho de água fria no avivamento.

Um dia destes fui pregar em uma igreja tradicional de uma cidade da Grande São Paulo e fui abordado por um grupo de diáconos daquela Igreja que estava preocupado com o fato do seu pastor alimentar a idéia esquisita de implantar ações evangelísticas em torno de pessoas excluídas.

- O que o senhor acha de um absurdo destes pastor Ubirajara?
- Acho realmente um absurdo, respondi. Se depender de vocês, vai todo mundo para o inferno. Sua escolha pelos engravatados e pelas cheirosas é simplesmente inconcebível.

Aqui comigo, parafraseei: “Resistí ao diácono e ele fugirá de vós”.
Barreiras de todo tipo e tamanho construídas pela estrutura eclesiástica moderna tornaram o avivamento estrutural, uma história difícil de ser contada. Você ainda acha que esta estrutura eclesiástica será capaz de conter, apoiar e alimentar um mover de Deus tão tremendo como este?

Jesus mesmo disse que no descortinar da Sua segunda vinda muitos dirão: Ei-lo aqui, ou: Ei-lo ali; porque eis que o reino de Deus está entre vós (Lc 17.21).

Será construída alguma estrutura eclesiástica capaz de conter este vinho?

Sai dessa meu!!!!!!! Ou se preferir: Ouvi outra voz do céu, dizendo: Retirai-vos dela, povo meu, para não serdes cúmplices em seus pecados e para não participardes dos seus flagelos (Apocalipse 18.4).


Ubirajara Crespo

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

LITURGIA OU ESSÊNCIA DO AVIVAMENTO?




Resultado da enquete sobre avivamento:


Graças a Deus a esmagadora maioria achou que sem mudança de vida não existe avivamento.


  • Jo 7.17: Se alguém quiser fazer a vontade dele, pela mesma doutrina conhecerá se ela é de Deus, ou se eu falo de mim mesmo

  • Geralmente nos deixamos impressionar pela aparência religiosa, pelo vocabulário cristão, pelos chavões denominacionais, pelo comportamento litúrgico, pelas manifestações sobrenaturais e pela prédica fervorosa. Há quem acredita que estas são as cores com as quais se pinta um avivamento. Gelo seco também faz fumaça, mas não produz fogo.
  • A reta justiça é o padrão divino para o verdadeiro avivamento, o resto provem de alquimia pirotécnica capaz de fazer espuma sem sabão e lavar a seco. Os grandes auditórios transformaram pastores em showmens, de difícil aproximação, dificultando a observação do caráter e o ensinamento pela imitação.
  • Veja o vídeo