A Nova Direção proposta aqui é uma retomada de rumos já tomados pela Igreja. resgatar valores antigos, mas sem perder o contato com a realidade atual. A mensagem de Jesus continuará relevante, mesmo que seque a erva e murche a flor.
Tudo o que vem dele, é permanente.
O amor de Cristo por nós, sua Palavra, suas promessas e sua posição única no topo do universo, continuam sendo as mesmas, aconteça o que acontecer na base. Se for preciso, vamos mudar o rumo e voltar atrás, para bem longe da cauda.
Mostrando postagens com marcador Apocalipse. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Apocalipse. Mostrar todas as postagens

domingo, 26 de junho de 2016

Britânicos abalaram ou reforçaram o Reino do anticristo?


Já faz muito tempo, que uma boa parcela dos estudantes de escatologia entende, a visão de Daniel desta estátua, como uma versão profética dos reinos de alcance mundial. O lugar onde ocorreu esta visão foi Babilônia, menção impor, porque foi o primeiro destes reinos. 

Veja a sequência do ergui entorno e queda dos dominadores deste mundo expressa no sonho onde Nabucodonosor viu uma estátua, cujo significado foi interpretado por Daniel.



Os pés desta estátua parecem apontar para o último destes impérios. Um poderio bélico capaz de ser entendido como o equivalente, tanto em força quanto em abrangência, ao auge do Império Romano. A profecia aponta, também, para uma possível ressurreição daquele império para assumir uma versão mais moderna, e sob nova direção. Sua gestão será dada ao anticristo. Era composto por dez nações e seu epicentro era o mesmo território ocupado hoje pela Europa. O Império Romano, foi o maior de todos os impérios mundiais, existentes até aquele momento.

“A cabeça da estátua era feita de ouro puro; o peito e o braço eram de prata; o ventre e os quadris eram de bronze; as pernas eram de ferro; e os pés eram em parte de ferro e em parte de barro.”
(Daniel 2:32-33).

Esta escola teológica entende que estes pés e os seus dez dedos representariam os dez reinos que compunham o antigo Império Romano. 

Na construção desta parte da estátua foi usada uma liga instável composta por ferro e barro. Sabemos que, estes dois materiais não se fundem entre si, ou seja, não dão liga. Provavelmente uma alusão à instabilidade desta aliança. Provavelmente o desligamento da Inglaterra deste grupo deixe claro o quão instável é esta aliança. É possível, que a decisão inglesa provoque um efeito cascata, e incentive a debandada de outras nações. Talvez isto reduza o número de participantes desta aliança, fazendo com que o Reino do Anticristo se detenha ao território, que formava o antigo Império Romano. Hoje o Mercado Comum Europeu reúne bem mais do que dez nações sob um único controle.

Não creio que, no momento, haja muita coisa a ser acrescentada a esta passagem, a não ser que queiramos aprofundar as conjecturas. Vamos caminhar com prudência e esperar que, o andar desta carruagem nos revele o que acontecerá daqui para a frente.

Até agora, nada aconteceu, que me faça mudar o que entendo desta profecia, sou adepto da interpretação mencionada neste arquivo. Quero apenas lhe recomendar, que leia, ouça e veja as últimas notícias com a Bíblia aberta no livro de Daniel. Este material, uma vez reunido, poderá fazer com que cheguemos muito perto da interpretação correta das Escrituras. Estamos muito próximos destas ocorrências, bem mais próximos do que podemos imaginar e mais distantes do que uma alma precipitada e soberba pode chegar. Há muitas fontes capazes de fornecerem conhecimento certo e/ou errado, mas o conhecimento total só pode ser encontrado nas Escrituras.

“Aqueles que são sábios reluzirão como o fulgor do céu, e aqueles que conduzem muitos à justiça serão como as estrelas, para todo o sempre. Mas você, Daniel, feche com um selo as palavras do livro até o tempo do fim. Muitos irão por todo lado em busca de maior conhecimento”.”
Daniel 12:3-4


Ubirajara Crespo 



Sob Nova direção

sábado, 18 de junho de 2016

Retomada do Universo



Depois da sua ressurreição, Jesus não reassumiu, imediatamente, sua posição de honra no Céu. Ele só o fez, depois de se certificar de que sua imagem como Deus, estivesse profundamente gravada nas mentes e corações de seus discípulos.

Aqueles que ficaram, precisavam saber quem era aquele homem que deu a sua vida por eles e precisavam estar dispostos a segui-lo, mesmo que isto custasse suas próprias vidas. Os efeitos libertadores produzidos daquela Cruz carecia de uma rede de distribuição, a ser espalhada por todo o planeta.

Não poderia restar dúvidas a respeito da sua divindade, da sua missão redentora, nem do seu plano futuro. O mesmo homem que viveu entre eles e mostrou suas duas naturezas, conservava sinais evidentes da sua humanidade, mas não poderia continuar escondendo a sua transcendência por detrás de um corpo perecível. 

Agora, sim, ele exibia as marcas da Cruz e as evidências da sua divindade. Aparecia, desaparecia, conversava e se deixavam apalpar, chegou junto, mas logo foi sugado pelas nuvens e desapareceu nos ares. Não iniciou a sua subida, antes de prometer, que desceria do mesmo modo como subiu.

Por tudo isso, mostrou ser o único que pode ser adorado.

Ubirajara Crespo 

quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

O Papa e o anticristo

Ubirajara Crespo 


O universalismo é o tipo de pregação que atrairá para o seu rebanho todas as tendência religiosas ou não.

No entender universalista não há uma verdade absoluta, mas muitos relativos e as contradições são apenas aparentes. Nada que não possa ser resolvido durante um diálogo inter religioso.

Nesta panela, onde cozinham todas as crenças e descrença, cabe tudo, até mesmo Jesus.

Segundo está fórmula religiosa de revelação progressiva, o ponto desta receita será dado mais adiante. Acontecerá no momento em que o seu chefe de cozinha senior, entrará em cena, pilotara o fogão e fará uma mistura religiosa final.

O universalismo (salvação para todos), cheira misericórdia, por isto precisa lançar mão de alguns ensinos cristãos, e encontrar gostos semelhantes nos ensinamentos de Buda, Maomé, Kishna, Zoroastro e outros. Hoje existe uma busca frenética por pontos de contato entre todas as religiões do mundo. O nó final será dado por aquele, que a a Bíblia chama de anticristo. 

Aliás ele não se mostrará contra nem a favor de ninguém, antes pelo contrário. A sua entrada em cena não espalhará brasas para nenhum lado, ele as apagará. Nada de ligações capazes de causar curto-circuito. O 666 estará bem servido por material isolante tirado da sua cartola mágica.

O discurso do Papa Francisco procura pontos de contato até entre crentes e ateus. Diz, que se ambos seguirem as regras montadas pela sua própria consciência, serão salvos. 

A mentira precisa da verdade para montar o seu argumento. Não será a unificação forçada dos sinais religiosos particulares a cada religião, que nos salvará. Fazer sinal da Cruz, como os católicos, fechar os olhos durante a oração, como fazem os evangélicos ou dizer slalom, como os judeus, não são diferenças relevantes. Esta nova religiosidade dirá: importa mesmo seguir as regras da sua consciência moral.

Este será o discurso do anticristo. Não acho que este papa tenha competência para o cargo, mas é manipulável, como todo mundo é. Talvez um predecessor.

Jesus é o caminho, como ele mesmo disse. Ora sabemos, que a única forma de chegar até Deus, é renunciando a todas as demais propostas religiosas que nos assediarem, inclusive algumas opções supostamente cristãs, com as quais tentam nos envolver.

terça-feira, 15 de dezembro de 2015

A tacada final das trevas.

A tacada final do Anticristo.

Plano satânica: Haverá um tempo de articulação da última tentativa de golpear a verdade e impedir o reconhecimento do Messias, por parte do povo judeu e do restante do mundo. 

Plano divino: Os 144000 judeus convertidos desempenharão um papel importantíssimo durante a grande tribulação. Quando será dada a última chance para a humanidade reconhecer a Jesus como Senhor. Certamente o Diabo fará de tudo para fazer com que este plano divino seja abortado.

“Então ouvi o número dos que foram selados: cento e quarenta e quatro mil, de todas as tribos de Israel.” Ap 7:4.



Daniel fala de uma aliança temporária entre os judeus e o Anticristo, o que resultará na reconstrução do Templo, onde pretende se assentar e ser adorado. 

“Assim, quando vocês virem ‘o sacrilégio terrível’, do qual falou o profeta Daniel, no Lugar Santo—quem lê, entenda" Mt 24:15 

Presenciaremos um grande avivamento de misturas religiosas das mais estranhas. Algo muito parecido com o que Constantino, imperador romano, conseguiu fazer durante a oficialização do cristianismo como religião estatal.

Este foi o maior desastre teológico da história, institucionalizando uma fé construída para ser pessoal. Trazendo o sincretismo religioso para dentro da cristandade. Criando hierarquias eclesiais e montando confessionalismos tribais impostos por castas sacerdotais superioras.

Espero, que, como gentios, estejamos todos preparados para  resistir a preparação para estes eventos apocalípticos. Deus arrebatará a sua Noiva deste terreno inimigo, no qual a Terra se transformará. Não há nada para ser conquistado ou restaurado aqui, além dos corações de seus habitantes.

Nosso destino será o Novo Céu e a Nova Terra, não esta.

quinta-feira, 24 de setembro de 2015

As sete trombetas

As últimas trombetas do Apocalipse.

A quinta trombeta do Apocalipse amplia o alcance dos flagelos do corpo para a alma.



Ap 9.2. "E abriu o poço do abismo, e subiu fumaça do poço, como fumaça de uma grande fornalha; e com a fumaça do poço escureceram-se o sol e o ar".

As demais trombetas secam as fontes de sustentação da vida humana, mas esta secará o coração e toda esperança posta em alianças feitas com o mal. Nem a morte, tão procurada por suicidas desesperados, será capaz de liberta-los de tamanho Tormento. 

"Apocalipse: 9.6. "Naqueles dias os homens buscarão a morte, e de modo algum a acharão; e desejarão morrer, e a morte fugirá deles". 

A vida, que até então fornecia uma centelha da esperança, se transformará em desesperança. Isto ocorrera durante cinco longos meses, quando a próxima trombeta liberará o poder da morte, o que não será nada animador. 
Os poderes contidos no abismo perderão a cabeça, serão liberados e sairão à caça de 💕 corações já fragilizados. Todos juntos construírao uma casa dividida contra si mesma. 
A morte, quando for restabelecida, não fornecerá escapatória, mas uma passagem só de ida para uma prisão de tormento. 

A sexta trombeta anunciará a reabertura da porta sepulcral. 

Ap 9.15. "E foram soltos os quatro anjos que haviam sido preparados para aquela hora e dia e mês e ano, a fim de matarem a terça parte dos homens".

A existência de vida, por pior, que seja, trás alguma esperança, mas naquele momento isto não passará de uma frase bonita. A liberação da morte reacendera uma ilusória centelha de esperança, jogando milhões de pessoas no lago de fogo. Isto ocorrera depois de cinco meses de contenção da morte. Esta trombeta liberará o poder da morte, o que não será tão aviçareiro . Todos descobrirão que a morte é a porta definitiva para o inferno. 

Ap 9.5. "Foi-lhes permitido, não que os matassem, mas que por cinco meses os atormentassem. E o seu tormento era semelhante ao tormento do escorpião, quando fere o homem".

Esta trombeta eliminará a terça parte dos habitantes do planeta, trazendo algum equilíbrio entre a oferta e a procura de alimentos. 
O alívio será passageiro para um mundo onde a terça parte dos mantimentos foi destruída. 
Os cinco meses de morte contida causará tamanho desespero, que preparará o coração do povo para a pregação do Evangelho do Reino, por parte dos 144.000 judeus convertidos e marcados durante a tribulação

Ubirajara Crespo

quinta-feira, 10 de setembro de 2015

A invasão dos falsos profetas

Ubirajara Crespo 


Surgirão falsos profetas, do tipo, cujo argumento será praticamente irresistível. Inicialmente comerão pelas beiradas, mas depois de algum tempo, meterão a mão no prazo é o derrubarao. Principalmente se o seu auditórios for composto por pessoas, de espiritualidade rasa, sem conhecimento das Escrituras e que, por conveniência, adotaram crenças mirabolantes.



Estes falsos profetas serão pessoas totalmente entregues à causas satânicas e perfeitamente capazes de convencer as pessoas de que conhecem a Bíblia. Alguns estão preparadissimos para responder as perguntas mais frequentes, apresentando, com desembaraço, argumentos pré montados. Serão capazes de decorar escripts montados pelo próprio anticristo.

Enquanto adolescente (14 anos), estudei métodos mneumonicos, e deixava as pessoas boquiabertas, fazendo, instantaneamente, cálculos matemáticos complicados. Por exemplo: raiz quadrada ou cúbica de 52.897.456.

Não se esqueça, também, que o diabo é o maior de todos os ilusionistas. Já vi um mágico fazer elefante sumir em meio a um estacionamento, ao ar livre.

Para você ter uma idéia, o anticristo será uma pessoa dotada de capacidade de convencimento incrivelmente superior. Mediante argumentos convincentes, convencera os próprios judeus de que devem entregar a ele a governança do Templo a ser construído em Jerusalém. Se apresentará a todos como a mistura enfeita de todos os líderes das maiores religiões do mundo. (Cristo, Maomé, Kristen, Buda, etc).

Mateus 24.24. porque hão de surgir falsos profetas, e farão grandes sinais e prodígios; de modo que, se possível fora, enganariam até os escolhidos.

O aparecimento progressivo de pessoas como essa, será reforçado com sinais e prodígios. Muitos acreditarao que ele é o Cristo, o sujeito tem de ser uma pessoa muito especial, um fenômeno.

O anticristo fará uma estátua falar. Um gênio da robótica ou um ilusionista capaz de convencer as pessoas de que a estátua falou?

Ap 13.3. Também vi uma de suas cabeças como se fora ferida de morte, mas a sua ferida mortal foi curada. Toda a terra se maravilhou, seguindo a besta, 4. e adoraram o dragão, porque deu à besta a sua autoridade; e adoraram a besta, dizendo: Quem é semelhante à besta? quem poderá batalhar contra ela? 8. E adora-la-ão todos os que habitam sobre a terra, esses cujos nomes não estão escritos no livro do Cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo. 14. e, por meio dos sinais que lhe foi permitido fazer na presença da besta, enganava os que habitavam sobre a terra e lhes dizia que fizessem uma imagem à besta que recebera a ferida da espada e vivia. 15. Foi-lhe concedido também dar fôlego à imagem da besta, para que a imagem da besta falasse, e fizesse que fossem mortos todos os que não adorassem a imagem da besta.

sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Espíritos familiares

Os espíritos familiares são provavelmente demônios que se aninharam em famílias onde encontraram um ambiente propício para se alojarem e executarem ações devastadoras. Não admitem perder sua posição e influência e para conseguirem uma cadeira cativa tentam convencer a todos em seus rituais. Manipulando mentores humanos, também chamados de médiuns, enviam mensagens que influenciam as suas decisões e favorecem o seu domínio sobre a família durante muitas gerações. Sentem-se bem em meio à podridão e baixos instintos da alma e procuram manter e renovar hábitos enraizados no dia a dia da família. Ofensas, traição, procrastinação, traição, doenças, disputas e falências que criam a necessidade de dar golpes, estão entre as suas preferidas.

Ora aconselham uma união, que eles mesmos desfizeram e mais adiante fomentam uma nova separação. Usam situações do cotidiano como iscas atraentes balançantes que estimulam o pedido de ajuda e criam ligações com a pessoa carente. Conhecem hábitos, assuntos e palavras que foram ditas no ambiente familiar e são capazes de cita-las durante uma falsa sessão onde invocam sinais de parentes mortos e são capazes de imitar as suas vozes. Alguns mentores, apesar se aplicam a sua pratica religiosa com sinceridade, alguns são aproveitadores, e outros se aproveitam das informações mais intimas dadas por estes espíritos, para manipular e obter presentes. Há também, aqueles que praticam estas coisas conscientes como servos voluntários do diabo.

Neste aspecto é bom enfatizar que demônios possuem uma moral dirigida pelas circunstâncias e não por princípios. Estão dispostos a prejudicar ou a beneficiar, escolhendo a pratica que os leve mais rapidamente a obter o que desejam
.

Ubirajara Crespo

quinta-feira, 3 de outubro de 2013

NÚ, MAS DE MÃO NO BOLSO!

Quem entra assim na Igreja é o amante, que remarcou o dia da ceremÔnia do casamento. Ele tem pressa e não sabe que se precipitou. Acabou encenando uma excelente ilustração do reinado do Anticristo. 

Para fazer isto, raptou o verdadeiro noivo, pediu resgate e esbanja por conta. Só pode estar doente e de tal modo que ultrapassou o ponto sem volta. Pobre, nu e necessitado, mas não sabe. Com extravagâncias tenta esconder de si mesmo o seu verdadeiro estado de alma. 
 
Esta Igreja raptou o noivo, sustenta e adora o amante COM O DINHEIRO DO RESGATE. 
 
O noivo só mostrará a sua Glória no dia do casamento. 
 
Isto me faz lembrar do dia em que Moisés ficou muito tempo no monte e o povo construiu um bezerro de ouro para se divertir com ele.

Como dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta; e não sabes que és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu; Apocalipse 3:17

Esta é apenas uma amostra do lugar para onde a grandiosidade eclesiástica pode nos levar.

É nesta área que ocorrem as mais sangrentas batalhas espituais e não nos lugares celestiais, atrás das bananeiras, monumentos e locais geográficos. O inimigo tenta desviar a nossa atenção para fora do olho do furacão, quando ele está entre nós. O pior de tudo isto é que alguns de seus protagonistas mais comprometidos com a mentia criaram seus ministérios particulares de Batalha Espiritual.

Chegamos ao clímax da falta de discernimento.

Ubirajara Crespo

quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Doçura que a gente esconde debaixo da língua

Dedique parte de seu dia para meditar neste versículo.


Ainda que o mal lhe seja doce na boca, e ele o esconda debaixo da língua  (Jó 20:12).


Já fiz muito isto. Senti um gostinho perverso pelo mal que atingiu alguém que havia me prejudicado. Fiz cara de quem estava triste com o acontecido, mas escondi esta satisfação debaixo da língua, sem lamber o beiço para esconder o que sentia por dentro.


Você ja fêz isto alguma vez?



Quem deseja andar com Jesus rema todos os dias contra a sua maré interior. Nossa tendência é odiar, revidar, agredir verbalmente, armar por detrás e curtir a derrota de quem nos suplantou e para fazer isto, nos pisou. 

A carne milita contra o espírito e o Espírito contra a carne.



3 passos para a frente e 2 para trás. Se pudéssemos dar um chocolate, ou uma grande goleada indo só pra frente, melhor. O placar nada elástico, no entanto, vale 3 pontos e se constitui em motivo de sobra para nos alegrarmos. Ganho de raspão, mas ganho. só precisamos cuidar para não ficar atrás neste placar.



Antigamente eu andava de ré e achava que estava ganhando, mas na realidade eu me afundava mais ainda na lama e no pecado. Jesus me ensinou a andar para frente, mas percebi que tem algumas cordas amarradas ao meu passado, tentando me puxar de volta. De vez em quando me sinto como uma marionete, cujas cordas são controladas por alguém que está ali só para me fazer trupicar.



Difícil desatar este nó, mas sempre que ele desgruda, eu vôo para Deus.

Tenho a promessa de ser vitorioso contra cada uma destas cordas presas ao meu arquivo emocional.

Ubirajara crespo

terça-feira, 28 de maio de 2013

Comentário na Bíblia de Estudo do Guerreiro:







COMENTÁRIO EXTRAÍDO DAS NOTAS DE RODAPÉ


Mateus 5.21-26: "Ouvistes o que foi dito aos antigos".

 
Um coração contaminado pelo vírus do mal é capaz de manipular ardilosamente um mandamento bíblico e fazer que ele revele algo mais ameno do que era a intenção original. Essas adaptações hermenêuticas podem não ser conscientemente planejadas, mas são frutos do que está dentro da alma [veja mais em Cântico 1.13].

Sugiro outra possível tradução para o texto citado: foi largamente utilizado aqui o dativo, uma declinação do grego equivalente ao nosso adjunto adverbial. Isto nos dá a possibilidade de traduzir da seguinte maneira: Ouvistes o que foi dito pelos antigos. O Senhor não estava se colocando na posição de julgar o mérito do mandamento bíblico, mas da interpretação que os antigos faziam do mandamento: “NÃO MATARÁS”.
 
Antes de dar uma facada em quem você odeia, já a matou várias vezes em sua mente. A sua cura interior o libertará deste mal.

 A intenção de Jesus, como Ele mesmo afirmou, não era tirar da lei nem um til nem um i, ao contrário, Ele queria reafirmá-la e trazer a lume o verdadeiro conceito nela encerrado. Os fariseus montaram uma regra de interpretação que, em vez de esclarecer, obscurecia.



segunda-feira, 25 de março de 2013

Bíblia de Estudo do Guerreiro no prelo e lavará a sua alma.

ALMA LAVADA PELA PALAVRA

Bíblia de Estudo do Guerreiro já está no prelo e vai lavar a sua alma.

Vem acompanhada por milhares de notas de rodapé, dicionário personalizado, caixas de texto, estudos em cascata. 

Esta Bíblia trará muito conhecimento e prática da Palavra de Deus para a sua vida.

O seu verdadeiro inimigo será derrotado.

A Bíblia de Estudo do Guerreiro é resultado do esforço em conjunto da Editora Naós e da Editora Agape.

Seu objetivo é preparar você para as Batalhas espirituais que ocorrerão em sua vida.

É preciso se preparar para a Guerra, pois o inimigo acumulou novos e eficientes artefatos bélicos em seu arsenal. 

Do nosso lado o General é Cristo, o maior de todos os guerreiros e ele nos transmitirá a últimas instruções para esta Batalha final.

Creio que temos aqui um apanhado geral de tudo o que precisamos para montar a armadura que devemos usar durante os últimos dias. 

segunda-feira, 2 de abril de 2012

Big Data. Sistema facilitador do controle mundial citado no Apocalipse

De ‘Moneyball’ a Davos: o Big Data se abre para o mundo

Análise de informação digital em tempo real é fundamental para a tomada de decisões

COMENTÁRIO PRÉVIO AO ARTIGO: É de um controle total como este que a Besta está precisando para implantar o seu reino na terra. Trata-se de algo que parece irreversível, mas deve ser visto sem alarme. Por enquanto estamos apenas somando pontos. Cada ponto extra, mais se aproxima o glorioso dia pelo qual todos os cristãos de verdade esperam.

Ubirajara Crespo

AGORA LEIA O ARTIGO

Publicado:
Atualizado:

Estande da IBM reproduz o mundo na feira CeBit, na Alemanha
Foto: AP

Estande da IBM reproduz o mundo na feira CeBit, na AlemanhaAP
RIO — Você vai ao mercado para comprar apenas o que falta para o jantar e, ao passar pelo corredor de produtos de higiene, seu celular o surpreende com uma mensagem. O remetente é o próprio varejista, que deseja atentá-lo para o desodorante em promoção na prateleira ali do lado. O SMS não diz, mas ele sabe que o seu estoque do produto está mesmo no fim e que, há duas semanas, você escreveu no Facebook o quanto gostava daquela marca.
Veja também

Como funciona o Big Data

Se a precisão da mensagem lhe é espantosa, prepara-se: a tecnologia que cruza coordenadas GPS, posts de redes sociais e todo tipo de dado em tempo real para proporcionar cenas como essa já existe e está invadindo empresas e governos do Brasil e do mundo. A promessa, segundo especialistas, é de uma revolução nas relações entre consumidores e empresas, entre a realidade sócio-econômica e os tomadores de decisões e até uma virada na ciência. A tecnologia insinua, ainda, uma nova fronteira na discussão sobre privacidade.
Trata-se de Big Data, termo de mercado para o conjunto de soluções que analisa informações em variedade, volume e velocidade inéditos até hoje - os três Vs, como chamam os tecnólogos. Ferramentas desse tipo surgiram no fim da década passada, mas este ano o conceito extrapolou de vez os limites da academia e dos setores de TI. Isso porque o preço para armazenamento de dados está despencando e diversas ferramentas baratas ou gratuitas para lidar com as informações estão surgindo. Um exemplo é o Hadoop, software de código aberto surgido dentro da Google que permite tratar grandes volumes de dados em tempo real.
Prova do alcance do conceito foi último Fórum Econômico Mundial. O austero encontro de Davos abriu espaço em sua agenda de debates sobre mercados financeiros e conjuntura macroeconômica para discutir diversos aspectos do mundo da informação. Ao fim, o fórum publicou o estudo "Big Data, grande impacto: novas possibilidades para o desenvolvimento internacional", que mostra como o Big Data pode ser uma arma contra problemas sócio-econômicos.
Um mercado de US$ 17 bi em 2015

Brad Pitt contribuiu ainda mais para a popularização da ideia: o filme “Moneyball”, protagonizado por ele e em cartaz no cinema, conta a história da mais famosa aplicação do Big Data.
Segundo a consultoria IDC, o mercado global de Big Data crescerá quase 40% ao ano entre 2010 e 2015, saltando de US$ 3,2 bilhões para US$ 16,9 bilhões. O ritmo dessa expansão é cerca de sete vezes maior do que o da indústria de tecnologia da informação como um todo. Mas essa projeção é considerada conservadora por parte do mercado por não incluir os desdobramentos da tecnologia sobre o restante da economia. Para o executivo de operações da EMC, Pat Gelsinger, o Big Data já movimenta US$ 70 bilhões e crescerá algo entre 15% e 20% ao ano daqui pra frente.
Como escreveu a Reuters, esses números deixam os fundos de capital de risco salivando. Dados compilados pela empresa que controla a agência de notícias mostram que só os venture capitalist investiram no ano passado US$ 2,5 bilhões em start-ups que atuam em Big Data.
A tecnologia envolve tanto dinheiro porque soluciona um problema inadiável para a economia global. Se você se sente atordoado com a enxurrada de posts no seu Twitter, imagine a perda de produtividade em uma empresa incapaz de compreender os dados que a inundam.
A quantidade global de dados digitais deve crescer do atual 1,8 zettabyte para 7,9 zettabytes em 2015, prevê a IDC. Zettabyte é o mesmo que um trilhão de gigabytes. Isso significa que, daqui a três anos, toda a informação do mundo poderia ser armazenada em 493 bilhões de iPads. A Gartner, outra consultoria, sustenta que esse volume de informação vai se expandir nos próximos anos a um ritmo de, no mínimo, 59%.
A centelha que aciona essa explosão é a proliferação de aparelhos e plataformas que geram dados como nunca. São os celulares, GPS, redes sociais, câmeras e sensores dos mais diversos tipos. E grande parte das informações nascidas nessas mídias são classificadas de não-estruturadas: ou seja, não é facilmente computável, sendo geralmente gerada pelo ser humano, não por uma máquina. A Gartner diz que mais de 85% das informações armazenadas pelas companhias do mundo sejam desse tipo, que, até pouco tempo, só podia ser compreendido por pessoas. Com o Big Data, as máquinas aprendem a lê-lo. Essa é, nas palavras de alguns especialistas ouvidos para esta reportagem, a beleza do conceito.

É chegada a vez da evolução no ‘I’

— Nos últimos 50 anos, toda a evolução do mercado de TI se deu, praticamente, apenas no “T” da sigla, na tecnologia. Com o Big Data, é chegada a hora de o “I”, de inteligência, guiar o avanços — afirmou Alexandre Kazuki, diretor de marketing da divisão da HP Brasil que cuida de Big Data.
O Big Data está dando os primeiros passos no mundo, mas a tecnologia apenas engatinha no Brasil, na avaliação de Kátia Vaskys, diretora de Bussiness Analytics da IBM. Como prova disso ela cita a forma como a maioria das empresas brasileiras monitora suas marcas nas redes sociais. Lá fora, essa é uma das tarefas mais caras ao Big Data, e gigantes como Walmart estão na dianteira.
— Aqui costuma-se contratar um time de estagiários para isso. Isso é basear a estratégia de marketing na intuição, mas não há intuição que resista a tanta informação! Há uma ferramenta tecnológica para fazer isso com muito mais precisão e em tempo real — comentou Kátia.
A aplicação por aqui está restrita, por enquanto, a alguns setores: varejo, financeiro (sobretudo na análise de risco), telecomunicações, petrolífero e, segundo Kazuki, começa a chegar às áreas de mídia e entretenimento.
Os clientes da Renner, por exemplo, não imaginam que a presença daquela camiseta na arara da loja é obra de tecnologia de ponta. Em parceria com a gigante Oracle, a varejista usa Big Data para identificar as necessidades imediatas dos consumidores, explica o diretor de TI Leandro Balbinot. A Renner consegue monitorar em tempo real o fluxo de mercadorias da loja ao cruzar os dados de localização GPS dos caminhões dos seus fornecedores com os níveis dos seus estoques. A rede também acompanha a aceitação dos seus produtos de forma instantânea nas redes sociais. Assim é possível saber se a roupa do comercial que acabou de ser veiculado na TV agradou ou não.
Mas a empresa quer algo mais desses dados. Balbinot adianta que em breve será possível deduzir as estratégias dos concorrentes simplesmente analisando os preços dos fornecedores. Outra possibilidade é a de trocar a seleção de produtos à venda na loja com base nas informações meteorológicas de um determinado dia. Exemplo: se os dados mostrarem que, nas últimas chuvas, os clientes compraram menos calças e mais acessórios, a rede pode dar mais destaque a eles logo que os primeiros pingos caírem na cidade.

domingo, 1 de abril de 2012

Aumento do preço do petróleo pode provocar o Armagedom

Apenas cogitacoes:
 
Ler este artigo abixo ajudará a entender o Apocalipse. O petróleo árabe é um fator capaz de provocar o ARMAGEDOM. Se o preço aumentar demais as nações ocidentais poderão se sentir obrigadas a invadir os poços de petróleo. O ocidente não permitira que os árabes respondam as suas ameaças de boicote, provocando uma bancarrota na Europa e EUA. 

Do lado de la viria uma forte reação por parte dos aliados dos orientais (China, Russia), que também sao dependentes deste ouro negro.

Talvez seja esta a solução a ser apresentada pelo anticristo para solucionar os problemas econômicos do ocidente.

As reações bélicas dos orientais explicaria os textos bíblicos que afirmam ser esta uma solução temporária.
 
Ubirajara Crespo  
 
*******************************
RIO - A escalada dos preços do petróleo este ano — o barril do tipo Brent, referência no mercado internacional, já subiu mais de 15% — acendeu o sinal de alerta de economistas e líderes mundiais para os riscos do impacto em uma economia global ainda muito frágil, com os Estados Unidos registrando elevado desemprego e a Europa à beira de nova recessão. Já há quem diga até que o petróleo substituiu a crise da dívida da Grécia como fonte de incertezas.
Impedidos de andar de carro durante a crise de 1973, belgas adotam a bicicleta Foto: Foto AP - 18/11/1973Em 2012, o preço médio do barril do tipo Brent chega a US$ 117,21, segundo agência Bloomberg até o último dia 28, bem acima da média de US$ 108,77 do ano passado. Especialistas estimam que, se esta diferença de preços (US$ 8,94) se mantiver até o fim do ano, significará perda de até US$ 562 bilhões no Produto Interno Bruto (PIB, conjunto de bens e riquezas produzidos num país) mundial em 2013. Ou seja, 1% do PIB global. Se levar em conta alta de US$ 17,85 no preço, entre o fim de 2011 (US$ 106,31) e o dia 28 de março (US$ 124,26), até US$ 1,122 trilhão pode virar pó no próximo ano.

Os cálculos da redução do PIB são do economista Daniel Sousa, professor de pós-graduação em Política e Negócios do Clio Internacional, com base em estudo do professor da Universidade de Utah Mingqi Li e em números do Fundo Monetário Internacional (FMI). O chinês avaliou o período entre 1971 e 2010 e conclui que uma alta de US$ 10 no preço do petróleo está associada a uma retração de 0,4% a 1% do PIB mundial no ano seguinte.
A continuidade do cenário de alta de preços abre a possibilidade de um período de “estagflação” — inflação elevada com crescimento baixo. E aqui no Brasil a indústria ligada ao petróleo começou a sentir no bolso o impacto. O custo maior da nafta e dos derivados plásticos já chega a 18% neste ano.
‘Saída da UTI’ seria prejudicada
Vários estudos estimam o impacto do petróleo caro. Na última quinta-feira, a Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) — que reúne os países desenvolvidos — divulgou que a recente alta dos preços do petróleo pode tirar de 0,1% a 0,2% do crescimento da economia de seus Estados-membros em 2013. Já a agência Fitch projeta que, se o barril tiver preço médio de US$ 150 este ano, o PIB mundial teria queda de 0,4% em 2012 e 0,4% em 2013. No caso do Brasil, a perda seria de 0,7% e 1,3%, respectivamente. O Goldman Sachs, por sua vez, estima que a alta de 10% do preço do petróleo significa perda entre 0,2% e 0,4% do PIB americano este ano e no próximo, respectivamente. Na Europa, o impacto seria de 0,2% este ano e quase zero em 2013.

— A nova alta do petróleo ocorre num momento delicado, em que os Estados Unidos estão se recuperando e a Europa sofre com instabilidade. A economia mundial está saindo da UTI, e pisar em um tubo de oxigênio pode ser complicado. Podemos viver um novo período de “estagflação”, que ocorre após altas do preço do petróleo, que seria uma pitada de sal na atual crise — afirma o professor da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA) da USP Simão Davi Silber.
Com crise no Irã, cotação de US$ 200
As incertezas em relação ao Irã, e a demanda de países emergentes têm puxado a alta da commodity. Em relatório recente, o HSBC afirmou que “O petróleo é a nova Grécia”. E a instabilidade em torno do preço vai continuar com força. Daniel Sousa lembra que só haverá decisão sobre uma intervenção no Irã após as eleições nos EUA, em novembro.
— Hoje os estoques de petróleo estão altos, mas são estratégicos, usados em situações emergenciais. A crise no Oriente Médio pode desorganizar a oferta, levando a cotação para algo entre US$ 160 e US$ 200. Com isso, pode-se repetir o cenário dos anos 80, que é recessão com inflação. Os governos teriam de elevar os juros, aprofundando a crise — diz Carlos Langoni, diretor do Centro de Economia Mundial da Fundação Getulio Vargas (FGV).

Segundo o economista Jeff Rubin, o mundo deve se preparar para uma nova realidade: a energia cara. Ele não acredita em escassez do óleo, mas lembra que os locais de onde se espera aumento de produção — como o pré-sal do Brasil — exigem custo maior.
— O preço do petróleo a três dígitos não é mais um fenômeno cíclico, mas um estado permanente. E vai limitar o crescimento da economia — aponta Rubin, que prevê que o barril alcance cerca de US$ 150 até o fim do ano.
De acordo com Luiz Carlos Prado, professor do Instituto de Economia da UFRJ, a inflação já está alta no mundo inteiro, em relação ao nível atual de atividade econômica:
— A “estagflação” seria um risco real (se o preço do petróleo disparar).
Como insumo básico, o petróleo influencia os custos de toda a economia, levando à alta de preços e pressão sobre a inflação. Tradicionalmente, bancos centrais elevam juros neste cenário, mas Silber diz não saber como seria a reação agora:
— Os BCs estão dispostos hoje a aceitar uma inflação mais alta.

No Brasil, o impacto da alta do petróleo é amenizado pela política de preços de longo prazo da Petrobras, que não repassa flutuações diárias. Mas, com um novo patamar, ficará impossível para a estatal não reajustar a gasolina, diz Langoni. Sousa afirma ainda que o Brasil não ficará imune, já que os países desenvolvidos vão crescer menos:
— O petróleo mais caro afeta a economia mundial, pelo lado da oferta, porque aumenta custos. As empresas gastam mais para produzir o mesmo ou até menos.
*Esta reportagem foi publicada no vespertino para trablet "O Globo a Mais".
 

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

ESBÔÇO DO LIVRO DE APOCALIPSE

Esboço do livro

 O esboço de Apocalipse está bem resumido neste texto: “Escreve as coisas que viste, e as que são, e as que hão de acontecer depois destas” (Ap.1.19).

 As coisas que viste (passado) capítulo um. João viu Jesus em toda sua glória e baseados em sua visão, podemos perceber quem é Jesus agora em seu estado glorificado. Ele está entronizado à direita de Deus Pai e não pode ser mais reconhecido como o homem de dores.
Ao invés de vê-lo crucificado, vêmo-lo assentado no trono celestial. Ele é rei hoje e eternamente. Esta parte do livro, composta de apenas um capítulo, mostra portanto o Senhor entronizado no céu. Vê-lo como Rei, fará muita diferença em nosso presente relacionamento com ele.
As coisas que são (o presente) capítulos 2 e 3. Estes dois capítulos de Apocalipse falam da Igreja, que é a representante de Jesus na terra. É uma visão de acontecimentos envolvendo mais diretamente a atual época. É o tempo presente, ou seja, a era da Igreja.      Temos aqui, a descrição de igrejas históricas (existiram mesmo). São igrejas simbólicas, tipificando características vivenciadas pelas igrejas. Mostra momentos de fortaleza, fraqueza, heresia, ortodoxia, de vida, e de mortificação. Neste sentido, poderemos encontrar nas diversas Igrejas militantes em nossos dias, algumas das características narradas aqui.
São igrejas proféticas. Mostra as diversas fases pelas quais a igreja iria passar. Entendemos que a época da Igreja começou no pentecoste e terminará com o arrebatamento. É a história completa da Igreja que está narrada nestes capítulos.

As coisas que irão acontecer (o futuro) capítulos 4 a 22. Os acontecimentos narrados a partir do capítulo 4 de Apocalipse, mostram o que acontecerá depois do arrebatamento. Nesta época grandes acontecimentos transcorrerão diante dos que aqui estiverem. Surgirão coisas como Anticristo, as duas Testemunhas o ressurgimento do império Romano o Amargedom. Cremos que neste instante a Igreja estará com Cristo, nas nuvens, como veremos no transcorrer do livro.          
Apocalipse significa tirar o véu (apokaluyis). Tirar o véu de Jesus glorificado, Tirar o véu da Igreja, Tirar o véu do futuro. Nada ficará por detrás da cortina. Nestes capítulos, apreciaremos acontecimentos futuros e seremos capazes de antecipar detalhes referentes a Igreja, ao Anticristo, ao mundo de um modo geral. Conheceremos as duas testemunhas, veremos o futuro de Israel e daremos uma boa olhada na Nossa morada eterna que é a Nova Jerusalém.
Com este conhecimento poderemos discernir as diferenças entre a verdadeira Igreja e a Igreja apóstata. Acompanhe-nos nesta viagem ao futuro e prepare-se para sentir as emoções que esta viagem ao futuro poderá lhe trazer.

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

11/11/2011 - Numerologia cabalística


‎11/11/2011 - Me pediram para escrever sobre esta data, mas eu não tenho nada para dizer. Isto é numerologia satânica e cabalista e eu me comprometi com o Senhor de só me deixar dirigir pela Palavra (a Bíblia).

Os tempos e as épocas estão nas mãos do Senhor e por mais que o diabo se esforce, seus planos só se cumprirão se colaborarem com o "plano master de Deus para a história".

Apocalipse 12 diz ...que os demônios serão despejados do céu, por Miguel e seus anjos e antes disto a Bíblia não fala de nenhum portal entre os dois mundos que irá se abrir. O único portal de entrada foi o coração humano (Adão), e continua sendo, não procure demônios atrás da bananeira.

Escolha então em quem você vai acreditar: Nos ensinamentos de demônios ou na Palavra de Deus.
E quer saber de uma coisa, quanto antes ocorrer este despejo demoníaco no céu, melhor para nós. Estou pedindo ao Senhor, já faz muito tempo, que apresse este momento.

Vem logo Senhor Jesus.
Ubirajara Crespo

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

A Besta cozinha o mundo em banho maria

Revelation 13:4: "...e adoraram o dragão porque deu a sua autoridade à besta; também adoraram a besta, dizendo: Quem é semelhante à besta? Quem pode pelejar contra ela?"

Embora não de aviso prévio, a besta não tomara o mundo em um assalto repentino, mas cozinhara esta mistura em fogo brando. Ela fará algumas adaptações, promovera predisposições e cultivara uma consciência coletiva.
Uma destas providencia será o extermínio de toda resistência ao seu endeusamento gradual, mas continuo. Como uma abominação, o iníquo construir no Templo um presépio vivo rodando ao redor de si mesmo.
Seus discípulos gostam de criar títulos, superestimar sua posição e assumir cargos executivos disfarçados com pintura religiosa. Esta pratica e muito adotada nestes dias.

Isto significa que as barreiras eclesiásticas que impediam o culto a personalidade já foram rompidas.

A sociedade, seja ela religiosa ou não, colocou muito peso, responsabilidade e expectativa em cima de personagens carismáticos. Para se considerarem SUPER, só falta a capa, o colã azul, a sunga em cima da calça e a cabine telefônica.
Este fenômeno ocorre desde os primórdios: Lembra-se de Nabucodonosor, Alexandre, Nero, Hitler e Obama? Creio, porem, que este raio nunca esteve tão perto de cair outra vez, no mesmo lugar, como agora.
A propalada "Nova Ordem Mundial", cuja identidade se esconde na penumbra das definições imprecisas e a grande esperança das nações.
Precisamos de alguém que formule esta definição definitivamente e saiba como apresentá-la convincentemente.

Depois disto NHAK!!!!!

terça-feira, 9 de agosto de 2011

UMA PANELA QUENTE CHAMADA ARMAGEDOM

Jeremias 1:13: "Outra vez, me veio à palavra do SENHOR, dizendo: Que vês? Eu respondi: vejo uma panela ao fogo, cuja boca se inclina do Norte".

Temos diante de nos uma profecia anunciando a invasão final de Israel.

É algo que ainda não aconteceu, mas acontecerá
Um conglomerado de nações se deslocara do Norte, onde as terras abrigaram a antiga União Soviética.
A destruição de Jerusalém parecera inevitável, pois além de serem muitas, estas nações possuem grande arsenal bélico. 
Perturbará a todos o serem convocadas pelo próprio Jeová. 

Jeremias 1:15: "Pois eis que convoco todas as tribos dos reinos do Norte, diz o SENHOR; e virão, e cada reino porá o seu trono à entrada das portas de Jerusalém e contra todos os seus muros em redor e contra todas as cidades de Judá"
A figura e de uma panela quente com a boca escancarada, certa de que fritara uma nação indefesa.
Seria fácil se Israel fosse o tipo de frango que se joga no caldeirão fervente sem resistência.

Estas nações não perceberão que esta situação foi armada para ser um milho de arapuca.

Jeová jogara o anzol e usará Israel como isca durante a batalha do Armagedom.

O Antigo Testamento já relatou que exércitos desfilaram diante dos muros de Jerusalém exibindo forca bélica desproporcional. Tudo em vão. Jerusalém só caiu mediante determinação previa de Jeová.
 
Pois bem, desta vez Deus determinou a queda final dos poderosos.

Simples assim: Ele manda e tudo acontece.É algo que ainda não aconteceu, mas acontecera.

Ubirajara Crespo
video

quarta-feira, 27 de abril de 2011

O LOBO E O CORDEIRO

Apocalipse 13.11: E vi subir da terra outra besta, e tinha dois chifres semelhantes aos de um cordeiro; e falava como o dragão.
E exerce todo o poder da primeira besta na sua presença, e faz que a terra e os que nela habitam adorem a primeira besta, cuja chaga mortal fora curada.

A informação mais importante a ser tirada desse texto não tem a ver com os chifres, mas com a pele preferida do diabo.

O diabo não joga aberto, não assina declaração de guerra, não se veste de soldado nem exibe a bandeira do inimigo. Ninguém se assusta com um cordeiro, mas corre quando se depara com um dragão.

O nosso pior inimigo ora conosco, nos defende em causas menores, nos convida para almoçar e até nos dá presentes. “...a mão do traidor está comigo à mesa” (Lc 22.21). Se Lúcifer se apresentasse transparente, permitindo um exame minucioso do seu DNA, fugiríamos como quem corre de um dragão. Ele só mostra os dentes quando abrimos as defesas e nos tornamos vulneráveis. “É tudo na moita”

Marcos 13.12: E o irmão entregará à morte o irmão, e o pai ao filho; e levantar-se-ão os filhos contra os pais, e os farão morrer.

Só não confunda precaução com desconfiança, pois esta o transformará em um eremita caminhando no meio de uma multidão de possíveis devoradores. 

Lembre-se, porém que você é uma ovelha esperta no meio de lobos e não um lobo selvagem em meio a pobres e indefesas ovelhas. Seja dócil, mas não bobo, esperto, mas, não malicioso.

RECOMENDO ESTE LIVRO:


Você encontra o livro - Fermento dos Farizeus na Livraria virtual da Editora Naós

WWW.EDITORANAOS.COM.BR

Veja esta mesma mensagem em vídeo

NaósNews TV

Watch live streaming video from naosnews at livestream.com