A Nova Direção proposta aqui é uma retomada de rumos já tomados pela Igreja. resgatar valores antigos, mas sem perder o contato com a realidade atual. A mensagem de Jesus continuará relevante, mesmo que seque a erva e murche a flor.
Tudo o que vem dele, é permanente.
O amor de Cristo por nós, sua Palavra, suas promessas e sua posição única no topo do universo, continuam sendo as mesmas, aconteça o que acontecer na base. Se for preciso, vamos mudar o rumo e voltar atrás, para bem longe da cauda.

terça-feira, 18 de julho de 2017

Os descaminhos da Teologia Contemporânea

➡ Não posso afirmar com precisão o motivo pelo qual os teólogos contemporâneos escondem o que pensam atrás de expressões escritas em um livro que não acreditam ser a Palavra de Deus, a Bíblia.
Falo de expressões como Céu, Inferno, Redenção, Salvação e Revelação.
Os teólogos mais ortodoxos, entre os quais me incluo, entendem que suas mensagens são recheadas de conotações novas escondidas atrás de palavras velhas. Segundo os ortodoxos, eles fazem isso porque seu auditório é constituído por pessoas, que possuem uma visão mais ortodoxa. Se o povo, ao qual tentam guiar através de seus descaminhos, soubessem exatamente qual é o significado de suas palavras, os rejeitaria e assim perderiam seus empregos. Acho extremista é dura demais esta opinião, pois equivale a dizer, que esta tática de convencimento é atribuídas pela Bíblia, ao próprio Diabo. Um ser, que segundo os teólogos modernos foi criado pelo imaginário popular, para explicar a existência do mal.
Sua teologia é fortemente influenciada por filósofos existencialistas e pelo gnosticismo, todos infiltrados em grupos religiosos condescendentes durante um período de enfraquecimento da Reforma na Europa.
Estes teólogos se caracterizam por tecerem definições abstratas a respeito das contundentes declarações bíblicas sobre pecado, revelação, inspiração das Escrituras e da Salvação Eterna. Uma pessoa, cujos ouvidos não foram treinados adequadamente, não percebe as profundas diferenças existentes entre uma pregação mais ortodoxa e uma pregação recheada de liberalidades.
Confesso, que criei uma pulga atrás de minhas orelhas, por também ter demorado a entender estas profundas diferenças de significados, quando fui enganado por este tipo de gente. Percebo, porém, que há entre eles, os que ainda não atinaram com o fato de que estão enganando o povo. Acham que nos estão conduzindo para uma percepção mais larga e racional, onde não há sérias divergências éticas entre a verdade e a mentira.
Meu coração se constrange ao ver pessoas tão inteligentes e portadoras de potenciais capazes de reconduzir o cristianismo de volta às suas origens, caindo, elas mesmas, em tamanho engodo. Preferiram adotar a condição de guias cegos, que encaminham seus auditórios para uma salvação que não se sabe do que, para um destino igualmente incerto e mal definido.
É realmente uma pena ver alguém abandonar a sabedoria das Escrituras para adotar a sua sabedoria própria incapaz de conter uma compreensão exata do Deus infinito. Ao qual em parte conhecemos e sobre o qual em parte profetizamos, como Paulo diz em 1Co 13.
Deus é grande demais para caber em uma mente humana, mas não para caber na mente dele mesmo, cujo tamanho equivale a sua grandeza. Só ele sabe definir a si mesmo e se revelar. As definições que ele Deu sobre si nas Escrituras são do mesmo tamanho da nossa cabeça, mas são as únicas definições confiáveis. O resto cabe dentro de um grande depósito de lixo não reciclável e nada aproveitável.

UbiraCrespo