A Nova Direção proposta aqui é uma retomada de rumos já tomados pela Igreja. resgatar valores antigos, mas sem perder o contato com a realidade atual. A mensagem de Jesus continuará relevante, mesmo que seque a erva e murche a flor.
Tudo o que vem dele, é permanente.
O amor de Cristo por nós, sua Palavra, suas promessas e sua posição única no topo do universo, continuam sendo as mesmas, aconteça o que acontecer na base. Se for preciso, vamos mudar o rumo e voltar atrás, para bem longe da cauda.

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Administração teocrática

Êx 19.1. No terceiro mês depois que os filhos de Israel haviam saído da terra do Egito, no mesmo dia chegaram ao deserto de Sinai. 5. Agora, pois, se atentamente ouvirdes a minha voz e guardardes o meu pacto, então sereis a minha possessão peculiar dentre todos os povos, porque minha é toda a terra; 6. e vós sereis para mim reino sacerdotal e nação santa. São estas as palavras que falarás aos filhos de Israel.

Segundo a interpretação secularista, as leis de um país expressam daquilo que o povo é, e faz. Deus, porém, como o fundador de a Israel, caminhou na contramão deste sistema, convocando um povo para ser a expressão de seu caráter, conforme expresso nas suas leis.

Israel era um reino sacerdotal, uma teocracia e teocracia não são construídas democraticamente, mas com o voto de uma única pessoa: Deus.

Ao povo restava apenas a opção de obedecer ou não aos estatutos. Esta decisão lhe garantiria a posição de propriedade peculiar, única, exclusiva.

A estrutura do governo era sustentada pelo sistema de imposto único. A arrecadação era feita por um órgão que Malaquias chamava de "A casa do Tesouro", provavelmente de administração sacerdotal, onde eram recolhidos os dízimos.

O dinheiro era de Deus e não da nação e deveriam ser usados conforme os critérios determinados por Deus e não conforme a cabeça do Rei. Salomão fez isto muito bem, até que se achou com o direito de sustentar um harém particular, quase um motel de uso exclusivamente seu.

Olhar para o cofre de uma instituição religiosa como se fosse seu, é uma decisão que trará sérios prejuízos para quem se acha dono.

Nossa responsabilidade, como pastores, é imensa, mas a nossa atividade é essencialmente de ordem pastoral e não administrativa. Lidamos com gente, o Corpo Vivo de Cristo, e não com aplicações, construções, especulação imobiliária e estruturas mortas.

Nossa especialidade é Semear cotações com sementes como amor, paz, longanimidade, domínio próprio etc.

As demais responsabilidades devem ser delegadas à um Colegiado.

Ubirajara Crespo

Estudo incentivado por mensagem preferida pôr Eduardo, na reunião dos homens na Igreja Evangélica do Maracanã .