A Nova Direção proposta aqui é uma retomada de rumos já tomados pela Igreja. resgatar valores antigos, mas sem perder o contato com a realidade atual. A mensagem de Jesus continuará relevante, mesmo que seque a erva e murche a flor.
Tudo o que vem dele, é permanente.
O amor de Cristo por nós, sua Palavra, suas promessas e sua posição única no topo do universo, continuam sendo as mesmas, aconteça o que acontecer na base. Se for preciso, vamos mudar o rumo e voltar atrás, para bem longe da cauda.

domingo, 15 de junho de 2014

Revelação forte em cabeça curta

Revelação em cabeça errada é enrascada.
O sonho de José.

"Estávamos nós atando molhos no campo, e eis que o meu molho, levantando-se, ficou em pé; e os vossos molhos o rodeavam, e se inclinavam ao meu molho. Responderam-lhe seus irmãos: Tu pois, deveras reinarás sobre nós? Tu deveras terás domínio sobre nós? Por isso ainda mais o odiavam por causa dos seus sonhos e das suas palavras" (Gn,. 37.7,8).

Este sonho era o embrião formador da estrutura da nação israelense. Os doze feixes representavam as doze tribos que receberam os momes de José e seus irmãos.
Nem José e nem seus irmãos entenderam isto, pois quando o conhecimento cai em mente soberba como a de um adolescenteJosé, só serve para alimentar seus sonhos de grandeza.
O mesma sonho, também não entrou redondo na mente dos irmãos de José, porque a inveja enraizada neles alimentou a animosidade já existente neles.

Os pentecostais e os neopentecostais, valorizam quem tem dons, e quanto mais confeitados com visões, curas e revelações, maior o prestígio do seu possuidor.
Já entre os tradicionais o prestígio é alcançado por quem tem maior conhecimento. Se o conteúdo for acompanhado por uma boa retórica, melhor.

Se revelação e/ou conhecimento caírem em mentes desfiguradas por sentimentos como inveja, soberba, fome de prestígio, golpismo, ambição e indiferença, as reações serão exatamente aquelas que Deus não queria.

Caso não haja revelação nem conhecimento, basta fazer de conta que sabe e, entre os neopentecostais, basta dramatizar o sobrenatural e conseguir o que quer: prestígio, bons caches, fãs e respeito.
Melhor seria, tanto para o carismático quanto para o tradicional se empenhar em cultivar a cura de seu interior afetado pela mágoa, pelo desamor e pelo desprezo, do que buscar dons e/ou conhecimento.

Vai que um dia dá para pegar os três:

1. Dons.
2. Conhecimento.
3. Prática daquilo que é pregado.

Se não tivermos dispostos a alcançar tudo isto ao mesmo tempo, melhor desistir.

Vai vender banana que é menos arriscado.

Ubirajara Crespo