A Nova Direção proposta aqui é uma retomada de rumos já tomados pela Igreja. resgatar valores antigos, mas sem perder o contato com a realidade atual. A mensagem de Jesus continuará relevante, mesmo que seque a erva e murche a flor.
Tudo o que vem dele, é permanente.
O amor de Cristo por nós, sua Palavra, suas promessas e sua posição única no topo do universo, continuam sendo as mesmas, aconteça o que acontecer na base. Se for preciso, vamos mudar o rumo e voltar atrás, para bem longe da cauda.

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

CONHECENDO DEUS MAIS PROFUNDAMENTE

DEGUSTAÇÃO DESTE LIVRO

“Aproximem-se de Deus, e ele se aproximará de vocês!”NT (Tiago 4.8)

Se tivéssemos a opção de vivermos hoje em dia ou durante a época em que Jesus caminhou pela terra – o que escolheríamos? Alguns agarrariam a oferta de estar com Jesus a fim de ser confortados por Seu sorriso e acalmados por Seu abraço; ver Seus milagres em primeira mão – o coxo andando e o cego vendo – e conversar com Ele como fizeram Maria, Marta e Lázaro. Seu coração anseia por tal intimidade e urgência?

No entanto, por que os cristãos conseguem sonhar em ver Jesus, tocá-Lo e ouvi-Lo? Será que se deve ao fato de detectarmos uma distância em nosso relacionamento com Deus? Queremos algo mais? Será que os cristãos primitivos se saíram melhor por terem visto Jesus e tido uma amizade com Ele ao passo que nós precisamos cambalear com nossa miserável fé? Nas últimas horas antes de ser preso, Jesus revelou a Seus discípulos – e a todos os crentes – a promessa de um relacionamento íntimo e profundo com Deus. “Aquele que me ama será amado por meu Pai, e eu também o amarei e me revelarei a ele” (Jo 14.21; ênfase acrescentada). A Bíblia declara que é possível estabelecer um relacionamento pessoal com Deus embora permaneça certa distância. Assim como Moisés pediu para ver a glória de Deus (Êx 33.18), será que desejamos usufruir mais da presença de Deus?


Embora eu seja formado no seminário e trabalhe no ministério integral por mais de 20 anos, estou traçando um novo terreno em minha jornada com Deus. Minhas idéias a Seu respeito têm-se estendido além de qualquer comparação, com maneiras originais de pensar, e sinto-me muito mais perto de Deus. Há alguns anos, senti determinada turbulência em minha alma embora as práticas nas quais eu estava engajado e as perspectivas que eu tinha a respeito de conhecer Deus não estavam ajudando-me a progredir. Olhando para trás, vejo como Deus trouxe pessoas, livros, idéias e até mesmo acontecimentos até minha vida a fim de me levar aos domínios fascinantes de novos pensamentos e experiências. Em janeiro, eu estava temporariamente cego de um olho por três semanas e aprendi a firmar-me mais em Deus. Sete meses depois, experimentei fazer um retiro espiritual de três semanas de solidão no qual senti a presença de Deus como nunca a havia sentido antes.

Deus planeja para nós muito mais do que imaginamos ser possível. Hoje, vivo mais em Sua graça, paz e amor – um senso de obrigação me motiva menos. Converso mais com Deus. À medida que confio mais em Deus e oro com mais seriedade, consigo discernir respostas específicas na oração. Em suma, sinto-me mais ligado a Deus. As lutas e frustrações ainda surgem, mas me sinto menos distante do que antes. Com intensidade crescente, aprecio a forma pessoal de Deus. Gosto de esforçar-me mais para conhecer o Senhor, o Deus que deseja conhecer-me.

Este livro foi escrito com a finalidade de ajudar os crentes a responderem ao convite de Deus para conhecê-Lo melhor e sentirem Sua presença mais profundamente. Além do mais, o Deus majestoso do universo fará de tudo para estabelecer uma amizade conosco. É a maior história de amor de todos os tempos: “Porque Deus amou tanto o mundo que deu o seu Filho Unigênito, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna” (Jo 3.16). “Esta é a vida eterna: que te conheçam, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste” (Jo 17.3). No futuro, Deus completará Seu longo sonho: viver conosco inteiramente: “Agora o tabernáculo de Deus está com os homens, com os quais ele viverá. Eles serão os seus povos; o próprio Deus estará com eles” (Ap 21.3; ênfase acrescentada).

Nosso grandioso Deus deseja encher-nos com Seu amor ilimitado e convidar-nos para que experimentemos a vida em sua plenitude. O profeta Isaías tem uma visão de tal maravilha.

Neste monte o Senhor dos Exércitos preparará um farto banquete para todos os povos, um banquete de vinho envelhecido, com carnes suculentas e o melhor vinho.
Neste monte ele destruirá o véu que envolve todos os povos, e a cortina que cobre todas as nações; destruirá a morte para sempre.
O Soberano, o Senhor, enxugará as lágrimas de todo rosto e retirará de toda a terra a zombaria do seu povo.
Foi o Senhor quem o disse!
Naquele dia dirão: Este é o nosso Deus; nós confiamos nele, e ele nos salvou.
Este é o Senhor, nós confiamos nele; exultemos e alegremo-nos, pois ele nos salvou” (Is 25.6-9).

Tamanha alegria espera por todos os crentes, amados de Deus, ainda que haja muita alegria agora também.

Klaus Issler