A Nova Direção proposta aqui é uma retomada de rumos já tomados pela Igreja. resgatar valores antigos, mas sem perder o contato com a realidade atual. A mensagem de Jesus continuará relevante, mesmo que seque a erva e murche a flor.
Tudo o que vem dele, é permanente.
O amor de Cristo por nós, sua Palavra, suas promessas e sua posição única no topo do universo, continuam sendo as mesmas, aconteça o que acontecer na base. Se for preciso, vamos mudar o rumo e voltar atrás, para bem longe da cauda.

quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Quando o Perfeito Chegar, o imperfeito será dispensado

“Quando vier o que é perfeito, o que é em parte será eliminado” (1Co 13:10).

Não estou dizendo, que os dons são imperfeitos no sentido de serem inerentemente maus, mas são instrumentos capazes de levar a mensagem adiante, enquanto ela precisar ser conduzida a outras pessoas.

Sem duvida alguma os avanços tecnológicos trouxeram muitos benefícios para a divulgação da Palavra. Alguns chegam a afirmar que estamos nos aproximando daquilo que será o perfeito.

Estratégias, musicas e estruturas perfeitas. Organização, programação e informação muito próximas da perfeição. Muito poder político e financeiro. Muito som, dinheiro, musica, atos proféticos e marketing. Estamos evoluindo rapidamente, mas talvez com base no tangível.

Mas afinal, o que é perfeito?

O perfeito é aquilo que restará de todas as nossas atividades eclesiásticas, incluindo pregações, profecias, missões, folhetos, livros, evangelismo, concentrações, marchas e louvores.

Até quando olho para as inúmeras denominações, títulos, posições e placas, tendo a pensar que para chegar ao que é perfeito, preciso me afastar de tudo isto.

“Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três; porém o maior destes é o amor” (1Co 13:13).

A própria fé e a esperança, que parecem ter uma meia vida mais reforçada do que tudo o mais, não permanecerão. Seu papel é nos indicar o caminho para o perfeito, e como tal nos ajudarão a chegar lá, mas ao chegarmos, terão cumprido a sua missão e não haverá mais ninguém para ser conduzido ao Reino Eterno.

Esperança pra que, se tudo já chegou? Não teremos de esperar nada mais, pois tudo estará la para o nosso desfrute.

Para que cultivaríamos a fé, se tudo aquilo no que acreditamos estará tangível, animado, visível e totalmente finalizado diante de nossos olhos.

No Céu só ficará aquilo que for absolutamente imprescindível e totalmente compatível com a essência de Deus. O amor sim, somente ele se encaixaria nesta descrição para conservar a eternidade algo realmente bom de se experimentar.

Tudo porque Deus é amor e quem não ama, não conhece a Deus.

Ubirajara Crespo