A Nova Direção proposta aqui é uma retomada de rumos já tomados pela Igreja. resgatar valores antigos, mas sem perder o contato com a realidade atual. A mensagem de Jesus continuará relevante, mesmo que seque a erva e murche a flor.
Tudo o que vem dele, é permanente.
O amor de Cristo por nós, sua Palavra, suas promessas e sua posição única no topo do universo, continuam sendo as mesmas, aconteça o que acontecer na base. Se for preciso, vamos mudar o rumo e voltar atrás, para bem longe da cauda.

sábado, 14 de janeiro de 2017

As santas Revelações

As santas Revelações são santas mesmo?????


"Tratando-se de profetas, falem dois ou três, e os outros julguem cuidadosamente o que foi dito". (1Co 14:29) 

Quando as pessoas não conseguem tirar alimento da Palavra de Deus escrita, é sinal de que a suas mentes parou de funcionar e se tornou poleiro de aves de rapina e teias de aranhas famintas. Este crime pode ser comparado a um suicídio intelectual.

A capacidade de raciocinar foi implantada pelo nosso Criador. Manter nossa mente inerte é uma ofensa contra Deus e negar o propósito original para o qual fomos criados.

Em ambientes assim proliferam as revelações, que geralmente vêm mal acompanhadas. Seus companheiros são arrepios, suóres, tremores, pulos, gritos, quedas, visões e olhos esbugalhados. Estas manifestações, quando geradas na carne, não passam de uma tentativa de autenticar o conteúdo da revelação. Na realidade uma enganação.

O que autêntica a mensagem é a vida do mensageiro. Os profetas do Antigo Testamento simplesmente diziam: Eu o Senhor vós digo..... Diante deles tremiam pobres, ricos, reis e sacerdotes. 

Paulo começava as suas cartas dizendo: Paulo, enviado por Jesus Cristo.... E o mundo se calava diante dele.

"Os bereanos eram mais nobres do que os tessalonicenses, pois receberam a mensagem com grande interesse, examinando todos os dias as Escrituras, para ver se tudo era assim mesmo".
Atos 17:11

Hoje não falta revelação, falta autenticidade, vida, obediência, desapego, cabeças rolando por amor a Jesus, crucificações e apedrejamentos.

Em contrapartida sobram carros luxuosos, motoristas particulares, spas, manções, iates, cachês, salários dignos de estadistas, pecado, comércio da Palavra e promessa furada.

Quem acredita na nossa pregação? Os falsos mestres são o instrumento mais usado para tornar relevante, aquela fatal pergunta, feita por nosso Senhor Jesus Cristo: Quando o filho do homem voltar, ainda haverá fé na Terra?

Eu digo a vocês: Ele lhes fará justiça e depressa. Contudo, quando o Filho do homem vier, encontrará fé na terra?” (Lc 18:8)

Sei, no entanto, que a resposta é sim, pois desta vez, ele fez uma promessa e não uma pergunta que se cumprirá: as portas do inferno não prevalecerão contra a Igreja.

Apesar de me preocupar com a pergunta, fico com a promessa, pois saiu dos lábios de quem jamais falhou. Mesmo diante das evidências, aconselho você a também se agarrar a esta promessa com unhas, dentes e coração.

Amados, não creiam em qualquer espírito, mas examinem os espíritos para ver se eles procedem de Deus, porque muitos falsos profetas têm saído pelo mundo. (1Jo.4.1) 

Ubirajara Crespo